Principal especialista chinês em energia nuclear comete suicídio

Por meses, houveram relatos de suicídios entre oficiais do PCC

Por Frank Yue

Um importante especialista em energia nuclear chinês e também um oficial de alto escalão do Partido Comunista Chinês (PCC) cometeu suicídio por razões desconhecidas na província de Heilongjiang, no nordeste da China, com base em vários relatórios de divulgação.

Em 17 de junho, Zhang Zhijian, do sexo masculino, 58 anos, professor de energia nuclear na Harbin Engineering University (HEU), pulou de um prédio comercial e se matou, segundo nota oficial divulgada por seu empregador. O anúncio disse que a polícia local declarou que havia descartado a probabilidade de assassinato após investigar a cena. No entanto, não mencionou nenhuma possível causa de morte.

Zhang tinha dois outros títulos conspícuos antes de sua morte: o de vice-diretor da universidade e de membro do comitê permanente do PCC.

Dados públicos mostram que Zhang ocupou uma série de importantes cargos acadêmicos e administrativos relacionados à sua experiência, incluindo o chefe do Colégio de Ciência e Tecnologia Nuclear da HEU; diretor do Centro de Pesquisa de Simulação de Energia Nuclear (NPSRC), um dos principais laboratórios de defesa nacional da China; chefe da Secretaria de Desenvolvimento e Planejamento; e diretor executivo da Sociedade Nuclear Chinesa.

A HEU é uma academia com fortes laços com os militares chineses.

Historicamente, foi o antecessor do Instituto Militar de Engenharia do PLA (Exército de Libertação do Povo), fundado com apoio técnico da antiga União Soviética em 1953. Atualmente, está vinculado ao Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação da China, o predecessor do Comissão de Ciência, Tecnologia e Indústria da China para a Defesa Nacional.

Além disso, o HEU é sancionado pelo Departamento de Comércio dos EUA. Foi incluída na Lista de Entidades em 23 de maio de 2020, por seu envolvimento em atividades militares e armas de destruição em massa. As organizações na lista precisarão de uma licença do Departamento de Comércio para comprar tecnologia dos EUA.

Por meses, houveram relatos de suicídios entre oficiais do PCC.

Li Xiaoqiu, vice-diretor do Departamento de Cultura e Turismo da região da Mongólia Interior, noroeste da China, se enforcou em uma biblioteca na cidade de Hohhot, capital da região, em 17 de maio, segundo a mídia estatal da China. Ele também foi membro do Grupo de Liderança do Partido. Ele havia deixado uma nota de suicídio, mas as autoridades locais não divulgaram o conteúdo.

Gao Guoliang, vice-diretor do Escritório de Segurança Pública de Yanshi, cidade de Luoyang, província de Henan, no centro da China, se suicidou supostamente “de maneira extrema” em seu escritório em 13 de maio, segundo autoridades locais. Eles não especificaram qual foi o método.

Ma Hui, diretor do centro de comando do Departamento de Segurança Pública do distrito de Heping, na cidade de Tianjin, saltou do topo do Seton Center, de 27 andares, e acabou com sua vida em 30 de abril.

 

Entre para nosso canal do Telegram.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas