Nova variante do vírus do PCC confirmada na Bélgica, primeiro caso na Europa

Cientistas sul-africanos relatam que nova variante está por trás do recente aumento nas infecções pela COVID-19 em Gauteng

Por Lorenz Duchamps

A Bélgica confirmou que uma nova variante do vírus do PCC (Partido Comunista Chinês) foi detectada no país, de acordo com autoridades da saúde. É o primeiro caso conhecido da nova variante na Europa.

A variante – que foi detectada pela primeira vez na África do Sul e chamada de B.1.1.529 – foi identificada em um turista que voltava do Egito para a Bélgica, em 11 de novembro, afirmou o virologista belga, Marc Van Ranst, no Twitter. A pessoa desenvolveu os primeiros sintomas em 22 de novembro, acrescentou.

O ministro da Saúde da Bélgica, Frank Vandenbroucke, declarou que o caso foi identificado em um homem em torno dos trinta anos que estava voltando de uma viagem de férias no Egito, informou a agência de notícias local, VRT.

O homem não identificado apresentou sintomas leves da variante. A variante B.1.1.529 provavelmente será chamada de “Nu” pelos especialistas da Organização Mundial da Saúde, na sexta-feira. Se o nome for aprovado, será a próxima letra disponível no sistema de nomenclatura grego para as variantes da COVID-19.

“Temos um caso confirmado dessa variante, é de alguém que veio do exterior, essa pessoa realizou o exame no dia 22 de novembro, ela não foi vacinada e não conteve uma infecção anteriormente, então esse caso foi observado e confirmado, mas eu quero repetir, é uma variante suspeita, não sabemos se é uma variante muito perigosa. Isso nós não sabemos”, afirmou Vandenbroucke.

Atualmente não está claro onde a nova variante realmente surgiu, mas ela foi detectada pela primeira vez por cientistas na África do Sul e, além da Bélgica, também foi vista em viajantes para Botswana, Hong Kong e Israel. Cientistas sul-africanos relatam que a nova variante está por trás de um recente aumento nas infecções pela COVID-19 em Gauteng, a província mais populosa do país.

O primeiro-ministro belga, Alexander De Croo, ordenou na sexta-feira um novo conjunto de medidas, enquanto as autoridades no país relatam que os casos do vírus do PCC estão aumentando novamente. As novas medidas incluirão o fechamento de boates por três semanas e a restrição de festas organizadas de forma privada.

Primeiro-ministro belga, Alexander De Croo, participa de entrevista coletiva após reunião do comitê consultivo com ministros do governo federal, dos governos regionais e dos governos comunitários, em Bruxelas, no dia 19 de março de 2021 (Philip Reynaers / Belga / AFP via Getty Images)
Primeiro-ministro belga, Alexander De Croo, participa de entrevista coletiva após reunião do comitê consultivo com ministros do governo federal, dos governos regionais e dos governos comunitários, em Bruxelas, no dia 19 de março de 2021 (Philip Reynaers / Belga / AFP via Getty Images)

“O setor de bares, cafeterias e restaurantes terá medidas adicionais e terá o desligamento obrigatório às 23h e um máximo de seis pessoas por mesa, exceto se forem da mesma família”, anunciou De Croo. “Boates e clubes de dança terão que ser completamente fechados, mais uma vez, e eu sei que essa é uma mensagem difícil”.

O Reino Unido declarou, na quinta-feira, que estava preocupado com a nova variante identificada e proibiu voos de seis países da África Meridional. Israel também impôs uma proibição de viagens na maioria dos países africanos.

Nos Estados Unidos, o qual recentemente suspendeu a proibição ao turismo em muitos locais do mundo, o Dr. Anthony Fauci, conselheiro médico chefe do presidente Joe Biden, afirmou que deseja ver mais dados sobre a nova variante antes de realizar anúncios posteriores.

As autoridades americanas devem se reunir com as autoridades sul-africanas na sexta-feira para discutir a variante. No momento, não há indicação se a variante já chegou aos Estados Unidos.

Por NTD News

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas