Empreendedor chinês talentoso comete suicídio

Mao Kankan, um empreendedor chinês bem-sucedido que foi considerado outrora como um dos quatro jovens talentos de tecnologia da informação (TI) da China, se suicidou em 24 de janeiro; ele tinha 34 anos.

O jornal taiwanês Liberty Times informou que ele morreu em sua casa depois de deixar o fogão a gás ligado. Ele não deixou uma nota de suicídio. Antes de sua morte, sua empresa enfrentava problemas financeiros.

Mao Kankan fundou a Beijing Times Majoy Technology Co., uma empresa de jogos, em 2004. É dito que sua empresa teria revolucionado a forma como os jogadores interagem com os jogos de computador.

Ele foi frequentemente elogiado nas mídias estatais chinesas como um exemplo de sucesso por esforço próprio e que isso encorajaria mais jovens a se tornarem empreendedores. Após sua morte, apareceram artigos em portais da internet chinesa que expressavam tristeza e lamentaram a trajetória imprevisível dos empreendedores na economia chinesa.

China, empreendedorismo, Mao Kankan, suicídio - Um chinês joga jogos online num cibercafé em Pequim em 27 de fevereiro de 2010 (Liu Jin/AFP/Getty Images)
Um chinês joga jogos online num cibercafé em Pequim em 27 de fevereiro de 2010 (Liu Jin/AFP/Getty Images)

Em 2015, sua empresa entrou numa joint venture com a Wanjia Wenhua, tornando-se Zhejiang Wanjia Co, e ele serviu como seu CEO. A joint venture fazia negócios em jogos, animações de celulares e serviços financeiros na internet, de acordo com a Bloomberg.

Mas as operações da joint venture eram instáveis. No final de 2016, a empresa já acumulava uma dívida total de 43,14 milhões de yuanes (cerca de US$ 6,8 milhões).

No final de 2016, a atriz chinesa Zhao Wei e seu marido Huang Youlong tentaram comprar ações controladoras da Zhejiang Wanjia por meio de uma empresa que controlavam, a Tibet Longwei Culture Co., de acordo com a Reuters.

Mas a oferta da Tibet Longwei chamou a atenção dos reguladores chineses. A Comissão Regulatória de Seguros da China disse que foram feitas declarações enganosas e houve omissões em suas divulgações durante a oferta.

Leia também:
• Suicídio de engenheiro retrata pressão sentida pela classe média na China
• Vídeo com queixas de empresário lança luz sobre ambiente hostil dos negócios na China

O lance malsucedido fez com que as ações da Zhejiang Wanjia caíssem drasticamente. Eventualmente, ela foi adquirida por outro investidor e renomeada Zhejiang Sunriver Culture Co., de acordo com o Liberty Times.

Em 2017, o novo investidor quis vender suas ações e não injetou mais capital na empresa. Mao Kankan colocou sua casa e carro como garantia numa tentativa de obter empréstimos.

Mas não foi suficiente. Em outubro de 2017, a empresa fechou. Na ocasião, ela devia aos funcionários cerca de dois milhões de yuanes (cerca de US$ 316 mil) em salários não pagos.

A notícia chocou muitos empreendedores chineses, que expressaram suas condolências nas mídias sociais.

Li Xiang, um dos principais empresários nomeados e fundador da empresa de automóveis inteligentes CHJ Automotive, instou em sua página no Weibo, uma plataforma chinesa similar ao Twitter, que a mídia e o público respeitassem Mao Kankan e não fizessem julgamentos injustos.

Leia também:
• Novo relatório do FMI revela dimensão do problema da dívida da China
• China publica novas regras para apertar ainda mais empresas privadas
• Esquemas dos hospitais da China fraudam seguro de saúde
• Como um enorme esquema em pirâmide fraudou milhões na China
• Funcionários corruptos inventam formas criativas para esconder dinheiro desviado
• Vozes ocidentais são usadas para promover campanha de ódio do regime chinês
• Queda de altos funcionários sugere corrupção no setor de energia da China
• China quer resolver problema da pobreza, mas autoridades impõem empecilhos
• Regime chinês encarrega empresários de resolverem problema da pobreza na China

 
Matérias Relacionadas