Operação da PF investiga vazamentos dentro da instituição

Por Brehnno Galgane, Terça Livre

A Polícia Federal (PF) executou na quarta-feira (14) a Operação Mapinguari, para investigar vazamentos de dentro da própria instituição. O servidor público envolvido nos vazamentos já foi identificado e afastado.

Além do servidor, os agentes do órgão de polícia também  cumpriram mandados contra seis empresários ligados à exploração ilegal de manganês no estado do Pará.

As investigações apontam que os empresários tiveram acesso indevido às informações de uma operação da PF.

A Operação Mapinguari tem como objetivo investigar crimes de violação de sigilo funcional, corrupção passiva e ativa e associação criminosa, com penas previstas superiores a 20 anos de reclusão.

Segundo a PF, a investigação teve início ainda em 2018 com a violação de sigilo da Operação Migrador. Na ocasião, o vazamento trouxe prejuízo para a PF, porque os investigados tiveram acesso de forma antecipada às informações da operação e conseguiram fugir dos agentes no dia da deflagração da operação.

O analista político Carlos Dias, durante o Boletim da Manhã de quarta-feira (14), apontou o ocorrido como sendo um caso “alta traição”.

“É inaceitável e tem que haver uma apuração extremamente rápida, os efeitos têm que ser exibidos a todos, no sentido interno, porque é um organismo de Estado extremamente relevante e que não pode estar sujeito a esse tipo de desconfiança”, afirmou Dias.

 

Entre para nosso canal do Telegram.

Siga o Epoch Times no Gab.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas