Vencedores do Prêmio Jovem Cientista foram anunciados hoje

O tema deste ano para concorrer ao Prêmio Jovem Cientista foi ‘Inovação tecnológica nos Esportes’ (Kazuhiro Nogi/AFP/Getty Images)

PIRACICABA, São Paulo – Os vencedores da 26ª edição do Prêmio Jovem Cientista (PJC) foram anunciados nesta terça-feira à tarde (27) em coletiva de imprensa em Brasília.

Os campeões foram selecionados a partir de 2.070 inscritos em quatro categorias: Graduado, Estudante do Ensino Superior, Estudante do Ensino Médio e Mérito Institucional. As Instituições em destaque às quais os vencedores fazem parte são a Universidade de São Paulo (USP), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e Colégios de Aplicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

Considerado pela comunidade acadêmica um dos mais importantes reconhecimentos aos cientistas brasileiros, o PJC visa incentivar pesquisas no país. Em vista da contínua aplicação da ciência e teconologia nos esportes, o tema deste ano para o PJC foi ‘Inovação Tecnológica nos Esportes’.

A premiação oficial aos vencedores será dada diretamente pela presidente Dilma Rousseff no Palácio do Planalto em dezembro.

Campeões

Da categoria Ensino Médio, o campeão foi João Pedro Wieland, do Colégio de Aplicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (CAP-UFRJ). Em segundo lugar ficou Izabel Souza de Jesus Barbosa, do Instituto de Educação Fernando Rodrigues da Silveira, o CAP-UERJ e em terceiro lugar ficou Bianca Valeguzki de Oliveira, estudante do Colégio Presbiteriano de Juina (MT).

Na categoria de Ensino Superior, a campeã foi Priscila Ariane Loschi, da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG). Em segundo lugar ficou Henrique dos Santos Felipetto, da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM-RS) e em terceiro lugar ficou Thiago Tavares Magalhães, da Faculdade de Educação Tecnológica do Estado do Rio de Janeiro, FAETERJ (IST-Petrópolis).

Da categoria Graduado, Rodrigo Gonçalves Dias, da USP, ficou em primeiro lugar. Em segundo lugar ficou Caetano Decian Lazzari, da UFRGS e em terceiro lugar ficou Eduardo Pimentel Pizarro, também da USP.

Da categoria Menção Honrosa, o professor Luiz Fernando Martins Kruel, da UFRGS ganhou o prêmio por coordenar o Grupo de Pesquisa em Atividades Aquáticas e Terrestres, criado em 1986, no qual hoje trabalham 38 estudantes, entre iniciação científica e pós-doutorado.

O prêmio Mérito Institucional Ensino Médio foi dado ao Centro Educacional Adalberto Valle (CEAV), de Manaus (AM), pois está incorporando as datas do PJC ao calendário dos 410 estudantes de ensino médio.

Por fim, o prêmio de Mérito Institucional Ensino Superior foi à Universidade de São Paulo (USP), por conta de sua vanguarda da ciência esportiva e o investimento em projetos olímpicos, inspiração para todas as instituições de ensino do país.

Projetos destacados

Um Sistema de Posicionamento Global (GPS) para ser usado na pista de atletismo foi projetado pelo estudante Henrique dos Santos Felipetto, da UFSM. “Ele aumenta a autonomia dos atletas em treinamento, de tal forma que não necessitam ser acompanhados por atletas-guia”, explica o pesquisador em informe publicado no site do PJC.

Uma infraestrutura alternativa para os Jogos Olímpicos 2016 foi tema de um dos projetos ganhadores. O pesquisador, Eduardo Pimentel Pizarro, da USP, visou à diminuição do impacto no espaço urbano com a construção de uma vila sustentável, usando desenhos e estudos do cenário atual.

O estudante de ensino médio da UFRJ João Pedro Wieland, fez um aplicativo que seleciona músicas salvas no ‘smartphone’ de acordo com as necessidades físicas dos esportistas enquanto praticam, sejam eles amadores, ou profissionais. Para isso, ele se baseou em pesquisas que provam que batidas musicais tem um efeito de determinar o grau de desempenho do atleta corredor.

Outro tema ganhador, do mestrando da UFRGS, Caetano Decian Lazzari, foi uma célula de carga construída e testada para analisar o treinamento dos atletas. O aparato tecnológico é capaz de medir a força do atleta e funciona acoplado a um dispositivo de transmissão de dados sem fio (Bluetooth).

Epoch Times publica em 35 países em 19 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas