Trump convida famílias de luto para se manifestarem em reunião da fronteira do Texas

Quase 400.000 pessoas foram detidas pela Patrulha de Fronteira por atravessar ilegalmente a fronteira Estados Unidos-México em 2018

Por Charlotte Cuthbertson

O irmão do policial morto Ronil Singh foi convidado para falar durante a mesa redonda de segurança do presidente Donald Trump em McAllen, Texas, em 10 de janeiro.

Reggie Singh, que estava sentado à esquerda do presidente, disse que não quer que nenhuma outra família passe pelo que sua família está enfrentando.

Ronil foi fatalmente baleado no Natal durante uma parada de trânsito; o assassino acusado é um estrangeiro ilegal que tem duas prisões anteriores por dirigir sob efeito de drogas, mas não foi encaminhado às autoridades de imigração.

“O modo como ele foi morto – o que minha família está passando agora – não quero que nenhuma outra família, a polícia, passe por isso”, disse Singh. Os Singh são imigrantes legais das Ilhas Fiji.

“Eu tive que coletar seus restos mortais. Ninguém jamais deveria passar por isso no dia de Natal”, disse Singh.

Singh disse que apoia o que o presidente está fazendo para garantir a segurança na fronteira, “qualquer coisa para minimizar e deter” os estrangeiros ilegais que entram no país.

Depois de falar, Singh recebeu uma ovação de pé de participantes da mesa redonda e um abraço de Trump.

Javier Vega Jr.

Marie Vega também esteve na mesa redonda. Ela estava com sua família durante uma tarde normal de pescaria quando seu filho foi morto a tiros por um estrangeiro ilegal. Seu filho, o agente da Patrulha da Fronteira, Javier Vega Jr., foi baleado quando tentou impedir um estrangeiro ilegal de roubar o veículo da família.

“Nunca no meu sonho mais louco imaginei meu filho morrendo em um passeio em família”, disse Vega. “Nós tivemos um imigrante ilegal criminoso que o matou. Ele veio pensando que tinha direito de se apoderar de um dos nossos carros”.

Vega disse que Javier também era um ex-fuzileiro naval.

“Nenhuma família deve sofrer a perda de um filho. Os pais não deveriam ter que enterrar seus filhos”, disse ela. “Precisamos do muro, mas não apenas dele. Há outras coisas que precisamos fazer também”.

Trump assegurou a Vega e Singh que ele trabalhará para garantir que seus entes queridos não tenham morrido em vão. “Ninguém fala sobre o quão injusto é para as vítimas desses assassinatos brutais”, disse Trump. “E, a propósito, ao longo dos anos, há milhares deles”.

“Meu dever mais sagrado como presidente é defender o povo desta nação”.

O presidente Donald Trump fala à mídia antes de partir da Casa Branca a caminho da fronteira EUA-México em McAllen, Texas, em 10 de janeiro de 2019 (Charlotte Cuthbertson / The Epoch Times)

Números

No ano fiscal de 2018, quase 400.000 pessoas foram detidas pela Patrulha de Fronteira por atravessar ilegalmente a fronteira Estados Unidos-México.

Nos últimos dois anos, Trump disse que agentes da Imigração e Alfândega prenderam 4.000 estrangeiros ilegais por homicídio; 30.000 por crimes sexuais; e 100.000 por agressão.

Trump está considerando declarar uma emergência nacional para garantir o financiamento do muro.

“Eu não estou preparado para fazer isso ainda. Mas se for preciso, eu vou ”, disse ele antes de partir para o Texas em 10 de janeiro.“ Isso é uma crise. Você tem tráfico humano. Você tem drogas. Você tem criminosos entrando. Você tem gangues, MS-13.”

Antes de deixar a Casa Branca a caminho da fronteira entre os Estados Unidos e o México, no Texas, o presidente Donald Trump falou à mídia sobre segurança nas fronteiras.

“Você sabe quem são os que mais sentem dor? Os pais que tiveram filhos mortos por um imigrante ilegal que nunca deveria ter estado no país”, disse ele.

“Você sabe quem mais sofre? O marido que perdeu sua esposa ou a esposa que perdeu o marido para um imigrante ilegal que veio cinco ou seis vezes, que não deveria estar aqui. Esses são os que realmente sofrem.”

Siga Charlotte no Twitter: @charlottecuthbo

 
Matérias Relacionadas