Pratos com ‘cinco cores’ são bons para a saúde

Na cultura chinesa, comida e remédios estão intimamente relacionados. A prática da medicina tradicional chinesa coloca grande ênfase na obtenção de equilíbrio no corpo para regenerar órgãos e sistemas. Este equilíbrio é conhecido como yin e yang.

Um aspecto importante para alcançar o equilíbrio entre yin e yang é uma dieta bem balanceada, com pelo menos cinco variedades de cores. Embora os princípios do yin e yang sejam relativamente desconhecidos para o mundo ocidental, os chineses o praticam desde o século III.

Há mais de três mil anos, o Imperador Amarelo escreveu em seu clássico livro de medicina interna Huangdineijing que se aspessoas quisessem obter saúde e longevidade, deveriam comer alimentos com “cinco cores, cinco sabores e cinco aromas”.

Nos alimentos e na medicina chinesa é especialmente importante uma dieta multicolorida, pois acredita-se que o vermelho, amarelo, verde, branco e preto estão associadas aos órgãos vitais do corpo: coração, baço, fígado, pulmões e rins. As cores também estão relacionadas aos cinco principais elementos encontrados na natureza: fogo, terra, madeira, água e metal.

O Dr. Ming Zhou disse que na medicina chinesa não só é importante alcançar um equilíbrio dentro de si mesmo, mas também alcançar a harmonia com a natureza. Esta é a razão por que é tão importante associar as cores e os órgãos com os elementos.

Segundo Dr. Zhou, os grupos de cores oferecem os seguintes benefícios aos órgãos:

Alimentos brancos (metal):

Alimentos brancos proporcionam uma sensação de limpeza e purificam os pulmões. Eles são bons para melhorar a visão e acalmar as emoções. Exemplos incluem cogumelos, cebola, cherívia, nabo e couve-flor.

Alimentos verdes (madeira):

Verde é a cor da vida e está relacionado ao fígado. É um elo vital na cadeia alimentar. Os alimentos verdes são a fonte de alimento para pessoas e animais. Exemplos são: abacate, espinafre, uvas verdes e brócolis.

Alimentos negros (água):

O negro afeta os rins, o órgão principal entre os cinco órgãos e são a origem da vida. Exemplos de alimentos negros são: fungo preto, cogumelo, pepino do mar, gergelim preto e arroz preto.

Alimentos vermelhos (fogo):

O vermelho afeta o coração. Comer mais alimentos vermelhos ajuda o sistema imunológico e previne resfriados. Entre eles estão: maçãs vermelhas, morango, tomate e beterraba.

Alimentos amarelos (terra):

Amarelo afeta o baço. O baço transforma e transporta a energia dos alimentos e bebidas por todo o corpo. Alimentos amarelos também afetam o estômago. Exemplos: milho, pimentão amarelo, melão e abacaxi.

Os benefícios de uma dieta rica em cores também são reconhecidos pelos nutricionistas ocidentais. Nos diversos guias para uma alimentação saudável utilizados pelos norteamericanos, algumas das recomendações incluem a adição à dieta desses alimentos coloridos: vegetais verde-escuros, legumes de cor laranja, frutas, grãos integrais e laticínios com baixo teor de gordura. As diretrizes foram divulgadas pelo Departamento de Saúde e Serviços Humanos e pelo Departamento de Agricultura dos EUA.

Marla Caplon, nutricionista e supervisora da Divisão de Alimentação e Nutrição de Escolas Públicas do Condado de Montgomery, em Maryland, concorda que uma dieta com variedade de cores pode ser uma ótima contribuição para a boa saúde e o bem-estar.

Segundo Caplon, frutas e legumes amarelos e alaranjados são ricos em beta-caroteno, vitamina A e vitamina C, além de conterem poderosos antioxidantes que neutralizam os radicais livres. Vegetais verdes são ricos em fitoquímicos e são uma boa fonte de ferro, cálcio, vitamina K, A e C. Frutas e verduras azuis e vermelhas contêm antocianinas, que são poderosos antioxidantes que ajudam a prevenir doenças cardíacas, derrame e alguns tipos de câncer.

O grupo vermelho contém licopeno, um antioxidante que ajuda a proteger contra o câncer. Alimentos ricos em licopeno também ajudam a controlar a pressão alta. O grupo branco contém alicina, conhecida por ajudar a reduzir o açúcar no sangue e ter surpreendentes propriedades anti-inflamatórias e anti-bacterianas. Este grupo também contém poderosos antioxidantes, que ajudam a proteger contra o câncer e as doenças cardíacas.

Caplon disse que uma dieta colorida é visualmente atraente e pode aumentar o apetite. Então, qual é a melhor maneira de criar uma dieta colorida? Edward Shen, proprietário do Restaurante Sete Mares em Rockville, Maryland, aprova totalmente a dieta multicolorida e usa este conceito na comida servida em seu restaurante.

Shen, que é especialista em restaurantes há 21 anos, sempre incentiva os clientes a pedir alimentos variados. “A comida na mesa deveria ser semelhante à paleta de um artista. Para criar pratos que têm cores vibrantes e que sejam ao mesmo tempo nutritivos, você precisa experimentar diferentes ingredientes. Misturar e combinar para ver se as cores e os sabores se harmonizam”, diz Shen. “Ao escolher os alimentos para sua família, atenha-se aos cinco grupos principais de cores. Se você vai preparar um prato usando uma ou duas cores, use sua criatividade e adicione um pouco mais.”

“Por exemplo, se você fizer carne com cebola, o prato vai ficar opaco e sem vida. Você pode colorir um pouco o prato usando cebolinha, pimentões vermelhos e abóbora amarela. Adicione sabor usando especiarias como a pimenta preta. “Aprenda a ser aventureiro com a comida. Só através de uma dieta colorida pode-se receber todos os benefícios dos alimentos”.

 
Matérias Relacionadas