OMS mostra preocupação com evolução da pandemia em Brasil e Peru

Por EFE

Genebra, 3 jun – A Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou nesta quarta-feira a evolução da pandemia do novo coronavírus como muito preocupante na América Latina, especialmente em Brasil e Peru.

Em entrevista coletiva virtual, o diretor de Emergências Sanitárias da OMS, Mike Ryan, foi perguntado sobre o que vem dando errado no combate à Covid-19 na América Latina, que não conseguiu conter a propagação do coronavírus apesar de ter conhecimento do caos que ele causou na Europa semanas antes.

Ryan respondeu que os países que fizeram “coisas um pouco diferentes, de acordo com seu contexto”, geralmente se saíram melhor.

O diretor de Emergências Sanitárias afirmou que é preocupante como o coronavírus Sars-CoV-2 está sendo transmitido na sociedade como um todo, particularmente no Brasil e no Peru.

“Quando isso acontece, é muito difícil removê-lo da raiz. É necessária uma estratégia abrangente, não apenas medidas sociais, mas uma comunidade capacitada e uma forte coordenação governamental”, disse.

“É preciso conseguir que as pessoas se reúnam e ajam de forma comprometida, que eduquem seriamente, transmitam mensagens claras e deixem a ciência guiar as decisões”, ressaltou.

O diretor geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, que também participou da entrevista, compartilhou a preocupação da entidade com o aumento dos casos na América Latina.

“Há algumas semanas o número de casos diários é mais alto que em todo o resto do mundo”, frisou.

Ainda de acordo com Tedros, a tendência é oposta na Europa, onde hoje foi relatado o número mais baixo de casos desde 22 de março.

Por sua vez, Ryan recomendou que as autoridades mantenham as medidas de contenção e as suspendam somente quando virem progressos.

“Em termos de recomendações, tudo se trata de persistência, coerência, de garantir que as mensagens sejam claras e que as pessoas estejam comprometidas. Não há uma receita única para o sucesso”, concluiu.

 
Matérias Relacionadas