Narcotraficante senta na ‘Tribuna de Honra’ na abertura da Copa

Existe um antigo ditado: “diga-me com quem andas e te direi quem és”. Apesar das acusações de que a “elite branca” foi mau educada ao vaiar a presidente Dilma Rousseff e Joseph Sepp Blatter, presidente da FiFa, durante a abertura da Copa do Mundo de 2014, muitos talvez não saibam que o Palácio do Planalto convidou Desiré Delano Bouterse para se sentar na “Tribuna de Honra”.

Bouterse, chefe de estado do Suriname, é procurado internacionalmente por tráfico de drogas. Em julho de 1999 foi condenado em Haia a 16 anos de reclusão por tráfico de cocaína. O tribunal emitiu um mandado internacional para a sua prisão, o que torna praticamente impossível que ele saia do Suriname, se colocar os pés fora do país teoricamente será preso. Mas estava num estádio brasileiro assistindo a um jogo de futebol.

O site da Anistia Internacional, publicou artigo alertando sobre a demora no julgamento de Bouterse. A entidade alerta ainda para a possibilidade de que o traficante seja anistiado em seu país. Bolterse foi Tenente Coronel, em 1982 estava a frente do exército do Suriname, e é acusado também de tortura e assassinatos cometidos nessa época. Ele perde sua imunidade no momento em que terminar seu mandato em 13 de agosto de 2015.

Como tortura é um crime contra a humanidade, Bolterse pode e deve ser julgado por uma corte internacional.

Veja o pedido emitido pelo STF para ‘Prisão Preventiva para Extradição: PPE 319 HL de Desiré Delano Bouterse

NOTA

No dia 18 de junho de 2014, o site do JusBrasil, onde se encontra a publicação emitida pelo STF com pedido de prisão de Desiré Delano Bouterse, ficou fora do ar. Segundo a empresa, o site JusBrasil esteve, das 4h às 19h, em manutenção preventiva nos servidores. O propósito desse procedimento é garantir a qualidade e estabilidade do serviço prestado ao público. Ressaltamos que o JusBrasil é uma empresa de iniciativa privada e não pertence ao STF, como citado anteriormente nessa matéria.

Sociedade Militar

 
Matérias Relacionadas