Google exige testes semanais da COVID-19 e máscaras cirúrgicas para seus funcionários nos EUA

Para trabalhadores remotos, o Google oferece kits de teste doméstico gratuitos para todos os membros da família

Por Naveen Athrappully 

O Google ordenou testes semanais para COVID-19 e máscaras cirúrgicas para funcionários em suas instalações, à medida que as infecções pela variante Ômicron, que representa mais de 98% dos casos nos Estados Unidos, aumentam. 

“Para ajudar a evitar a propagação da COVID-19 durante este período de risco elevado, estamos implementando novas medidas temporárias de saúde e segurança para qualquer pessoa que acesse nossas instalações nos EUA”, afirmou um porta-voz do Google, segundo a Reuters.

Para trabalhadores remotos, o Google oferece kits de teste doméstico gratuitos para todos os membros da família. Trabalhadores em tempo integral terão acesso a kits que fornecem resultados instantâneos da Cue Health, enquanto os contratados receberão testes BioIQ pelo correio, de acordo com uma série de postagens críticas no Twitter do Sindicato dos Trabalhadores da Alphabet.

A Ômicron se espalhou rapidamente por todo o país, mas a variante altamente transmissível é caracterizada por sintomas leves que exigem significativamente menos hospitalizações do que a variante Delta.

Várias organizações proeminentes, incluindo médicos, sugeriram que a pandemia da COVID-19 se tornaria endêmica e que a doença poderia ser tratada sazonalmente, como o resfriado comum. A Ômicron seria o início dessa transição.

O cofundador da Microsoft, Bill Gates, recentemente se manifestou a favor desse argumento.

Nos Estados Unidos, os casos aumentaram mais de 568% de 14 de dezembro, quando a média de sete dias foi de 119.379, para 798.335 no dia 14 de janeiro. No entanto, o número de mortes mudou muito menos, de 1.148 em 14 de dezembro para 1.784 em 14 de janeiro.

O Google é uma das corporações de Big Tech mais rigorosas no cumprimento dos decretos. No mês passado, a empresa exigiu que todos os funcionários se vacinassem ou enfrentassem perda de salários. Qualquer um que violasse a ordem poderia ser demitido. Apenas alguns meses antes, a empresa afirmou que não aplicaria os decretos.

Ao contrário de outras empresas de tecnologia que ficaram completamente remotas, o Google mostrou que deseja continuar usando escritórios. A empresa investiu recentemente cerca de US$1 bilhão para comprar um prédio no centro de Londres.

Os representantes do Google não responderam imediatamente a um pedido de comentário pelo Epoch Times.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas