Tudo pelo poder: a verdadeira história de Jiang Zemin – Capítulo 18

Entre as amantes de Jiang, Song Zuying é a que mais chama a atenção

Os dias de Jiang Zemin estão contados. É apenas uma questão de quando, e não se, o ex-chefe do Partido Comunista Chinês será preso. Jiang governou oficialmente o regime chinês por mais de uma década, e por outra década ele foi o mestre das marionetes nos bastidores que freqüentemente controlava os eventos. Durante essas décadas, Jiang causou danos incalculáveis à China. Neste momento, quando a era de Jiang está prestes a terminar, o Epoch Times republica em forma de série “Tudo pelo poder: a verdadeira história de Jiang Zemin”, publicado pela primeira vez em inglês em 2011. O leitor pode vir a compreender melhor a carreira desta figura central na China de hoje.

Capítulo 18:

O soberano consorte e sua luxuria com amantes; vilões dominam, o nepotismo não é controlado

Os negócios duvidosos de Jiang Zemin e suas muitas amantes há muito tempo são motivo de rumores tanto nos círculos oficiais quanto entre o público em geral. Então, em 2002, para grande indignação de Jiang, um livro surpreendente, intitulado “The First Lady Song Zuying“, foi publicado na cidade de Shaodong, província de Hunan. Embora a publicação do livro tenha resultado na prisão de dezenas, as prisões não foram capazes de impedir que os detalhes da vida sexual de Jiang viessem à luz.

1 – Sra. Song Zuying

Entre as amantes de Jiang, Song Zuying é a que mais chama a atenção.

“Venha ver seu irmão quando precisar”

Song Zuying, filha de uma família pobre de etnia Miao, na província ocidental de Hunan, foi selecionada por acaso para cursar a faculdade no Departamento de Música e Dança da Universidade Central de Nacionalidades. Em outra oportunidade, ela fez sua estreia na Gala do Ano Novo Chinês de 1991 da CCTV e cantou timidamente “A Little Basket on the Back”. Embora a música não tenha deixado impressionado o público, com toda sua maquiagem, Song Zuying estava especialmente deslumbrante. Durante sua apresentação, Jiang, que tem idade para ser seu avô, gostou dela.

Mais tarde, Jiang transferiu a Sra. Song para o Conjunto de música e dança do Departamento Político da Marinha do Povo Chinês, onde ela se tornou uma artista importante. No passado, era difícil para o Comandante e o Secretário do Partido da Marinha ver Jiang, mas essa situação mudou, já que Jiang costumava ir ao Departamento Político da Marinha para assistir às apresentações. E cada vez que ele estava presente, uma apresentação particular de Song tinha que ser incluída. No final do show, Jiang subia ao palco para apertar a mão dos artistas, mas quando segurava a mão de Song, parecia não querer largá-la. Seus olhos permaneceram fixos nela, como se fosse engoli-la. Gradualmente, as pessoas pareciam acordar para alguma coisa, então toda vez que Jiang vinha, eles colocavam Song propositalmente no penúltimo lugar do programa. Além disso, eles deram atenção especial às suas condições de vida e posição social.

A certa altura, enquanto apertava sua mão no final de um show, Jiang disfarçadamente lhe entregou um pequeno pedaço de papel. Song não se atreveu a abri-lo imediatamente por causa da multidão, então ela o guardou no bolso. Depois de voltar para casa, ela abriu o papel e leu: “Venha ver seu irmão mais velho quando precisar. O irmão mais velho pode ajudá-la a resolver qualquer coisa”. O “irmão mais velho” era ninguém menos que o próprio Jiang. Mais tarde, Song revelou inadvertidamente essas palavras a outras pessoas quando ficou emocionada com o sucesso.

Para proteger seu relacionamento secreto com Song de interferência externa e exposição, Jiang pediu a Song para se divorciar de seu marido. Após o divórcio, Song foi morar na casa de hóspedes do Departamento Político da Marinha. Jiang costumava se encontrar com Song na casa de hóspedes à noite. Jiang vinha secretamente em meio a fortes medidas de segurança, e ninguém de fora poderia chegar perto dele. Além disso, toda vez que Jiang vinha, uma nova placa era colocada em seu carro para que não pudesse ser identificada como seu veículo específico. Assim que Jiang saia do carro, ele ia direto para o quarto em que Song estava. Com relação ao encontro entre Jiang e Song na Casa de Hóspedes, a equipe fingiu não ver nada, mas ficou extremamente enojada. Mais tarde, um quadro sênior com senso de propriedade relatou o caso Jiang-Song a seu superior, mas, como resultado, o quadro foi colocado sob vigilância e seu telefone monitorado.

A diferença de idade entre Song, que nasceu em 1º de agosto de 1966, no condado de Guzhang, província de Hunan, e Jiang, que nasceu em 26 de agosto de 1926, em Yangzhou, província de Jiangsu, era de 40 anos completos. Do ponto de vista da idade, Jiang poderia ter sido o avô de Song. Assim, o ex-marido de Song, o chamado “irmão mais velho” Luo Hao, recebeu um papel muito estranho para desempenhar. Sempre que jornalistas entrevistavam Song, o ex-marido divorciado era obrigado a estar presente, mas não tinha permissão para falar com os repórteres. Song o deixava em outra sala.

O cartão vermelho de Zhongnanhai

Song Zuying tem o privilégio incomparável de se apresentar ou de ter suas apresentações transmitidas na CCTV. Ela decide sozinha quais músicas cantar, e nenhum diretor ou chefe de departamento da CCTV ou mesmo do Ministério da Propaganda do governo central tem uma palavra a dizer sobre o assunto. Jiang também solicitou que a CCTV não desviasse a câmera para oficiais superiores na audiência durante a transmissão das apresentações de Song, a fim de manter consistência absoluta no programa.

No verão de 2002, Song viajou para uma cidade na província de Sichuan para assistir a um show organizado especificamente em sua homenagem. Com a aprovação de You Xigui, Diretor do Gabinete da Guarda Central, Zhou Yongkang, agora Ministro da Segurança Pública e então Secretário do Partido da Província de Sichuan, forneceu a Song serviços de guarda de segurança de alto nível—algo que normalmente só estaria disponível para um líder nacional em uma posição acima de vice-premier. Claro, esta foi uma ordem de Jiang.

Neste show, um ginásio com capacidade para 40.000 a 50.000 espectadores estava lotado, pois todos queriam ver a amante de Jiang. Entre as músicas que Song cantou estava uma canção folclórica da província de Hubei chamada “Melodia do Barco do Dragāo”. Na letra da canção há um diálogo: “Eu, uma jovem donzela, quero atravessar o rio, quem vai me dar carona nas costas?” Enquanto ela cantava, quando chegou a esta parte, milhares de pessoas na plateia abaixo do palco responderam unanimemente: “Vovô Jiang vai te dar uma!”. Song ficou muito envergonhada, mas não conseguiu parar a apresentação, pois dezenas de milhares de pessoas pagaram ingressos para ouvi-la cantar. Então, ela não teve outra escolha a não ser resistir e continuar cantando. Quando ela chegou ao segundo verso da música, ela teve que repetir: “Eu, uma jovem donzela, quero cruzar o rio, quem vai me dar uma carona nas costas?” Mais uma vez, milhares de membros da audiência abaixo do palco responderam em voz alta: “Vovô Jiang vai lhe dar uma!”. Depois de voltar para o hotel, ela chorou amargamente naquela noite até que seus olhos ficassem vermelhos. No dia seguinte, Song voou de volta a Pequim para queixar-se a Jiang. Jiang ficou zangado, então ordenou ao secretário do Partido daquela cidade na província de Sichuan que investigasse o incidente. No entanto, os secretários aprenderam atualmente as malicias como funcionários do partido. Eles não queriam ofender o povo por isso, então, alguns dias depois, uma resposta foi enviada ao Departamento em questão no governo central, dizendo que embora a estação de TV da cidade e o Departamento de Segurança Pública tivessem gravado a apresentação ao vivo naquela noite, as câmeras estavam todas voltadas para o palco, não o público, então não havia como eles identificarem os “desordeiros”. Portanto, nada ocorreu após incidente.

De acordo com fontes internas, Song carregava um cartão vermelho que lhe permitia entrar livremente em Zhongnanhai. O chamado “Cartão Vermelho de Zhongnanhai” refere-se a um passe de veículo para entrar em Zhongnanhai. De um modo geral, apenas funcionários com nível de ministro têm direito a este cartão vermelho. Mesmo o diretor da CCTV, que está no posto de vice-ministro, não tem o cartão vermelho. Em 1997, uma cantora de outro conjunto ganhou carona com Song para uma sessão de gravação no estúdio CCTV. No carro, essa cantora por acaso abriu o porta-luvas e inesperadamente encontrou o Cartão Vermelho de Zhongnanhai.

A história logo se espalhou tão amplamente dentro do Conjunto do Departamento Político do Exército de Libertação do Povo Chinês que os departamentos de literatura e arte dentro dos sistemas PLA e dos sistemas de telecomunicações realizaram várias reuniões de equipe exigindo que todo o pessoal preocupado não “fizesse, divulgasse ou acreditasse” nos rumores. Eles até impuseram essa exigência como uma disciplina política que todos os membros da equipe deveriam obedecer. Essa cantora foi dispensada em pouco tempo e enviada de volta para Tianjin. No entanto, cada pessoa entendeu muito bem de onde veio o cartão vermelho de Song.

O ultimatum na Internet

Já em 1998, o caso entre Jiang e Song havia se espalhado tão amplamente em Pequim que era conhecido por quase todo mundo. Os motoristas de táxi frequentemente conversavam com seus clientes sobre isso como uma forma de matar o tempo em engarrafamentos.

Um dia em 2001, Zhao An, o ex-chefe do Departamento de Literatura e Arte da CCTV e por muitos anos diretor do Festival de Gala da Primavera da CCTV, convidou algumas celebridades femininas—incluindo Song Zuying—para jantar no Restaurante Quanjiafu. À mesa, Song fervilhava de entusiasmo sobre suas experiências românticas com Jiang, e Zhao An a gravou secretamente. Mais tarde, o manuscrito desta gravação de Zhao foi descoberto por seu colaborador, o libretista Zhang Junyi. Com base no conteúdo deste manuscrito, Zhang enviou mais de 200 cartas anônimas a várias agências estaduais, departamentos jurídicos e disciplinares e chefes relacionados para expor Zhao An e Song por seu “libelo de liderança”. No entanto, por ordem de Jiang, o próprio Zhang Junyi foi posteriormente preso, acusado de oferecer e/ou aceitar suborno junto com Zhao An e condenado a uma pena de prisão. Zhang Junyi recebeu seis anos, enquanto Zhao An recebeu uma sentença de 10 anos.

Mais tarde, Jiang deu início a uma moção especial na 16ª reunião do Congresso, que lhe permitiu permanecer no poder como presidente da Comissão Militar Central (CMC). Isso irritou o intelectual popular Lu Jiaping, e ele expôs o escândalo entre Jiang e Song. Para impedir que a informação vazasse, Jiang reagiu e Lu Jiaping foi preso em sua casa em 23 de fevereiro de 2004.

No dia seguinte, um ultimato apareceu na Internet, avisando Jiang de que existiam edições “profissionais” de evidências de áudio e vídeo para cada um de seus encontros secretos com Song. Se Lu Jiaping não fosse libertado no dia seguinte, os VCDs seriam divulgados no país e no exterior. Antes desse incidente, um VCD pornográfico mostrando as façanhas sexuais de um oficial em Taiwan foi divulgado na Internet. Esse aviso obviamente sugeria que alguns dos rivais de Jiang poderiam ter alguma evidência pornográfica extremamente embaraçosa em suas mãos. 

Para surpresa de todos, Lu Jiaping foi solto no mesmo dia. No entanto, depois que o incidente com o VCD se acalmou, Jiang fez Lu Jiaping ser detido novamente em Hunan, a fim de calá-lo completamente.

Song continuou sua ascensão meteórica e tornou-se uma das melhores artistas do estado, que desfrutou do “subsídio especial governamental” concedido pelo Conselho de Estado. Ela também se tornou membro da Conferência Consultiva Política, membro do comitê executivo da Federação Feminina de Toda a China, membro da Federação Nacional da Juventude e diretora da Associação de Música da China.

O Grande Teatro Nacional

Para agradar a Song Zuying, Jiang não poupou despesas com o tesouro estadual.

Quando Song expressou seu interesse em realizar um concerto solo em Sydney, Jiang imediatamente destinou de dezenas de milhões de yuans da Marinha para tornar Song famosa na Austrália. As pessoas acharam muito estranho que as partes vocais de fundo fossem feitas por não chineses que nem mesmo conseguiam pronunciar as palavras chinesas corretamente. Além disso, os instrumentos musicais usados eram todos de origem ocidental, embora Song seja uma vocalista folk e as canções folclóricas que ela canta exijam o acompanhamento de instrumentos musicais folclóricos chineses. Havia apenas ela, ela mesma, a única alma no palco, para um concerto de música folclórica chinesa, enquanto todos os outros artistas eram ocidentais. O concerto não parecia ter um estilo nem chinês nem ocidental, dando ao público a impressão de algo que não era nem peixe nem ave. 

O organizador da Copa do Mundo FIFA de 2002 na Coreia solicitou que a China enviasse uma cantora famosa para se apresentar durante a cerimônia de abertura, e por fim Song, que foi considerada pelo anfitrião como de segunda categoria, foi despachada. Para o constrangimento da China, a Coreia compensou todas as outras estrelas que apareceram na cerimônia por sua aparição, mas Song não recebeu nem um centavo.

Além disso, Jiang certa vez pagou mais de 10 milhões de yuans para ajudar Song a publicar sua primeira seleção de músicas em CD, que foi colocada à venda pouco antes da véspera do Ano Novo lunar em 2002.

Mas o maior presente por meio do qual Jiang conquistou Song foi o Grande Teatro Nacional.

Em 13 de dezembro de 2001, a Agência de Notícias Xinhua anunciou a inauguração do Grande Teatro Nacional, que seria situado a oeste do Grande Salão do Povo. Ele ocuparia uma área de 118,9 mil metros quadrados, em um canteiro de obras de 149,5 mil metros quadrados. O investimento total para o núcleo do projeto foi de 2,688 bilhões de yuans. A parte periférica do projeto custou mais de 800 milhões de yuans e foi paga pela cidade de Pequim. Essa parte seria concluída em quatro anos. Além dos custos acima, um investimento de 300 milhões de yuans foi necessário antes da conclusão do projeto. O total geral para o projeto foi de 3,8 bilhões de yuans—quase o dobro da soma das doações feitas para o “Hope Project” tanto no país quanto no exterior nos últimos 15 anos. Este montante poderia ter subsidiado a educação de cinco milhões de alunos pobres.

Desde o seu início, o projeto esteve atolado em questões e disputas.

De qualquer perspectiva, nenhum especialista acreditava na necessidade de construir o Grande Teatro. Todos eles se opuseram fortemente e resistiram a este projeto. Estudiosos questionaram a necessidade de gastar mais de 3 bilhões de yuans para construir uma instalação de entretenimento tão gigantesca, a ponto de que as necessidades básicas de comida e abrigo para trabalhadores desempregados na China não pudessem ser garantidas. Além disso, o responsável pelo projeto foi um arquiteto francês, Paul Andreu, que não tinha experiência em projetos de teatros. Na verdade, em 23 de maio de 2004, um colapso fatal havia ocorrido no telhado do novo terminal 2E do Aeroporto Charles de Gaulle, que foi projetado sob a supervisão de Andreu. O acidente causou seis mortos e múltiplos feridos. O escritório do promotor público em Paris, França, disse em 29 de maio de 2004, que Paul Andreu, que foi o arquiteto geral responsável pelo projeto do terminal do Aeroporto de Gaulle, era suspeito de estar envolvido em práticas fraudulentas em seus esforços para ganhar a licitação para o Grande Teatro Nacional de Pequim. As autoridades francesas iniciaram uma investigação preliminar sobre esta alegação em julho de 2003.

Como os especialistas em arquitetura apontaram, do ponto de vista cultural, o Grande Teatro dá às pessoas a impressão de um OVNI gigante cheio de alienígenas pousando bem na frente de Zhongnanhai. Sem ler nenhum relato sobre o edifício, as pessoas podem reconhecer imediatamente que é um grande erro e vergonha ter um edifício que está em total desarmonia com a cultura tradicional de Pequim, a antiga capital de seis dinastias na história chinesa. Além disso, existem muitas dúvidas sobre sua praticidade. Michael Kirkland, membro do The Royal Architectural Institute of Canada, comentou que este projeto jogou a linguagem arquitetônica e os princípios científicos básicos pelo ralo; este era um edifício muito funcional, mas o designer o tratou como uma obra de arte, o que foi um grande erro. Depois de selar o topo com o que parece ser uma tampa e colocar as salas dentro das salas, é muito difícil configurar qualquer grande palco que requeira um espaço alto e grande. Alguns comentaram que o design era tão prático quanto abrir um guarda-chuva dentro de casa, e estar lá dentro parecia estar preso em um casulo. Como resultado, ele teve que ir para o subsolo com uma profundidade de seis a oito andares, um design verdadeiramente absurdo.

A Architectural Review, a revista de arquitetura mais proeminente do mundo, chamou o teatro de “ultraje” em sua edição de dezembro de 1999. Ela criticou o design de Paul Andreu e sarcasticamente o chamou de “a epiderme perfeita de sua bolha”. [1] “Uma enorme bolha cintilante repousa como uma água-viva no meio de seu lago: mais uma adição ao zoológico de edifícios de objetos que formam a nova textura do centro da cidade”.

Do ponto de vista de um pássaro, o teatro se assemelha a uma bolha gigante de catarro, mas Jiang alegou ter gostado muito dele. Robert Lawrence Kuhn escreveu em The Man Who Changed China: The Life and Legacy of Jiang Zemin, “Do extremo sul de Zhongnanhai, onde Jiang gostava de ver a lua e seu reflexo no Lago Sul, podia-se olhar através das águas e ver o edifício de tirar o fôlego se erguendo”. [2]

Para chegar ao teatro, Paul Andreu providenciou a abordagem sob o lago, para que o público descesse um túnel de 100 metros de comprimento e depois subisse novamente. Para o povo chinês, a experiência é comparável a cruzar uma passagem subterrânea de uma tumba gigante.

O Grande Teatro Nacional está repleto de outros problemas, como poluição luminosa, altas despesas com limpeza e manutenção, uma conta mensal de eletricidade de 4 milhões de yuans e muito mais. A China atualmente precisa desesperadamente de eletricidade. Cento e quarenta cientistas da Academia Chinesa de Ciências e da Academia Chinesa de Engenharia, bem como 114 renomados arquitetos, planejadores e engenheiros, apresentaram várias cartas conjuntas ao governo central chinês apelando para impedir o plano de encarregar Paul Andreu de projetar o Grande Teatro Nacional.

Jiang não mostrou consideração pelas opiniões dos cientistas. Talvez fosse uma prioridade mais alta para ele agradar a sua amante, Song. Ele estava determinado a construí-lo o mais rápido possível. Algumas pessoas inventaram uma piada semântica e chamaram o teatro de o “Grande Bordel Nacional”. [Teatro e bordel soam muito semelhantes em chinês porque o teatro é chamado de ju yuan em chinês e bordel, ji yuan.]

Por outro lado, Song tem trabalhado muito para proteger o governo de Jiang a fim de retribuí-lo. Sua seleção de canções consistentemente contém letras que elogiam o Partido Comunista Chinês e Jiang, como “Uma boa vida”, “Está melhorando”, “Um líder que mantém a herança e avança para o futuro”, “Seguir você para sempre” etc.

Os líderes dos governos central e local da China não estão menos ansiosos para agradar Song, porque sabem muito bem que será mais recompensador do que tentar agradar diretamente a Jiang. Os almirantes da Marinha têm sido extremamente protetores da jovem “guerreira” Song e muito atentos às suas necessidades. Outrora, a banda de música e dança da Marinha iria entreter e confortar a Marinha no Tibete. Quando um oficial de alta patente da Marinha viu o nome de Song na lista, ele anunciou: “Song não está indo para o Tibete. A planície alta do Tibete é fria e severa. Se algo acontecesse com ela, não seríamos capazes de enfrentar o secretário-geral [do Partido Comunista Chinês, Jiang]”.

Indice – Introdução

Entre para nosso grupo do Telegram.

Veja também:

 

 
Matérias Relacionadas