Executivos no Sul da China desaparecem com dinheiro da empresa

Recentemente, a província de Fujian, um grande motor da manufatura no Sul da China, tem visto uma série de executivos desaparecerem, frequentemente levando o dinheiro da empresa consigo. Cinco desses casos emergiram em menos de três meses, segundo a mídia chinesa.

Em 16 de setembro, Clifford Chan, diretor-financeiro da Ultrasonic, uma empresa listada na bolsa de Frankfurt, disse que o paradeiro do diretor-executivo Wu Qingyong e do diretor-de-operações Wu Minghong era desconhecido. “A maioria dos fundos de caixa da empresa nos níveis da República Popular da China e de Hong Kong foram transferidos, e não estão mais na esfera de influência ou alcance da empresa”, disse um comunicado da Ultrasonic.

A Ultrasonic, uma fabricante chinesa de calçados urbanos baseada na cidade de Quanzhou, em Fujian, foi elogiada como uma das “Marcas Famosas da China” pela Administração Estatal da Indústria e Comércio; e ganhou honras semelhantes e reconhecimento de marca do governo local na província de Fujian. As ações da empresa despencaram 72%, para 1,79 euros, após o anúncio. Sua companhia alemã ainda tem “o valor significante de seis dígitos” em obrigações com credores.

Outra empresa da cidade de Quanzhou listada na Alemanha, a Youbisheng Green Paper, uma fabricante de produtos de revestimento de tecnologia limpa, não sabia o paradeiro de seu CEO Huang Haiming por semanas antes de nomear seu irmão como sucessor, informou o website ad-hoc-news.de em 1º de agosto. Em 7 de agosto, a empresa informou que planeja declarar insolvência quando a situação financeira foi questionada, segundo a Reuters. Não se sabe se Huang fugiu com o dinheiro da empresa.

Nuoqi, uma empresa varejista de moda listada em Hong Kong, viu seu chefe-executivo e presidente Ding Hui desaparecer após ele transferir mais de 2 bilhões de yuanes (c. US$ 325 milhões) da conta bancária da empresa, segundo o Diário da Manhã do Sul da China em 2 de agosto.

A empresa deve cerca de 500 milhões de yuanes (US$ 81,4 milhões) a fornecedores e Ding também tomou empréstimos superiores a 1,5 bilhões de yuanes (US$ 244 milhões) de bancos chineses locais, informou The Standard de Hong Kong. Desde então, a empresa declarou falência e a negociação de suas ações foi suspensa.

Eratat Lifestyle, uma fabricante de sapatos listada em Cingapura, parou a produção por meses após o CEO Lin Jiancheng desaparecer, informou o website ifeng.com em 8 de agosto. O sr. Liu, um funcionário da empresa, disse: “Antes do Ano Novo Lunar chinês, eu implorei ao chefe por meu pagamento e recebi apenas 10 mil yuanes… A empresa ainda me deve 60 mil”, disse o artigo.

 
Matérias Relacionadas