Xi Jinping acena para manifestantes do Falun Gong durante visita a Nova Zelândia

Em duas ocasiões, o líder chinês Xi Jinping acenou de sua comitiva quando passava por praticantes do Falun Gong que exibiam faixas de protesto em Auckland, Nova Zelândia.

Quando praticantes do Falun Gong locais souberam que Xi Jinping visitaria a Fazenda Karaka, situada ao sul de Auckland, em 21 de novembro, cerca de uma dúzia deles decidiu ir ao local para protestar, pedindo o fim da perseguição ao Falun Gong na China.

Num relatório publicado no Minghui.org, um praticante chamado Jin Long disse que eles contataram a polícia local, mostraram-lhes suas faixas e panfletos, e manifestaram sua intenção de protestar pacificamente.

O Falun Gong é uma prática espiritual tradicional chinesa que tem sido perseguida na China desde 1999, por ordem de Jiang Zemin, o ex-líder do regime comunista chinês.

Com a ajuda da polícia, os praticantes do Falun Gong desfraldaram suas faixas ao longo da rua onde a comitiva de Xi Jinping passaria. Enquanto aguardavam, vários estudantes chineses, mobilizados pelo consulado chinês local, se aproximaram e tentaram criar problemas para os manifestantes, mas a polícia os parou e ordenou-lhes que mantivessem certa distância dos praticantes do Falun Gong.

“Quando a comitiva chegou, ele [Xi Jinping] acenou para nós”, disse Jin Long. “Eu acenei de volta e nós gritamos bem alto: ‘Falun Dafa é bom! Levem Jiang Zemin à justiça!’”

“Em nossas faixas estava escrito: ‘Falun Dafa é bom’ e ‘Levem Jiang Zemin, Zeng Qinghong, Zhou Yongkang, Luo Gan, Liu Jing e todos os responsáveis pela perseguição ao Falun Gong à justiça’. Todas as faixas estavam claramente visíveis para Xi Jinping”, relatou Jin Long.

“Dois funcionários do consulado chinês apareceram e mostraram-se muito agitados, mas não puderam fazer nada a respeito”, disse ele.

Praticantes do Falun Gong seguram uma bandeira que pede que os responsáveis por perseguir o Falun Gong sejam levados à justiça, durante passagem da comitiva do líder chinês Xi Jinping em direção à casa do governo em Wellington, Nova Zelândia, em 20 de novembro de 2014 (Minghui.org)
Praticantes do Falun Gong seguram uma bandeira que pede que os responsáveis por perseguir o Falun Gong sejam levados à justiça, durante passagem da comitiva do líder chinês Xi Jinping em direção à casa do governo em Wellington, Nova Zelândia, em 20 de novembro de 2014 (Minghui.org)

Casa do governo

A sra. Tong, outra praticante do Falun Gong que participou de um evento similar no dia anterior, ocorrido em frente à Casa de Governo em Wellington, disse que Xi Jinping e sua esposa Peng Liyuan também acenou para ela e para outros praticantes do Falun Gong.

Em 20 de novembro, várias centenas de pessoas se aglomeraram na entrada da Casa de Governo, incluindo praticantes do Falun Gong, grupos que protestavam por diferentes razões e um ‘grupo de boas-vindas’ organizado pelo consulado chinês, assim como muitos funcionários de mídia e policiais que mantinham a ordem no local.

Por causa da multidão e porque o ‘grupo de boas-vindas’ tentou encobrir as faixas do Falun Gong, vários praticantes do Falun Gong decidiram se mudar para um cruzamento a cerca de 275 metros de distância, onde eles expuseram suas faixas “sem qualquer interferência”, afirmou a sra. Tong.

Após um atraso de mais de uma hora, a comitiva de Xi Jinping apareceu e os praticantes levantaram suas faixas em ambos os lados da rua.

“Eu o vi acenando para nós”, disse Tong. “Ele estava sentado do lado esquerdo do banco de trás, enquanto Peng Liyuan estava do lado direito inclinando-se para frente. Ela também acenou para nós.”

Traduzido por Quincy Yu. Leia o artigo original chinês.

 
Matérias Relacionadas