Wang Xizhi, o sábio da caligrafia

Wang Xizhi, o sábio da caligrafia (Jade/The Epoch Times)

Wang Xizhi da Dinastia Jin Oriental é o calígrafo mais conceituado na China. Frequentemente referido como o ‘Sábio de Caligrafia’, ele deixou sua obra-prima da caligrafia, o “Prefácio aos Poemas Escritos no Pavilhão da Orquídea”, que se tornou o modelo do estilo cursivo de escrita, o ‘xingshu’, cujas principais características são traços suaves e graciosos, expressão de verdadeira beleza da força interior.

Quando jovem, Wang Xizhi costumava procurar lápides com inscrições sempre em suas viagens e fazia decalques delas. Com o tempo, ele montou uma grande coleção desses escritos em pedra para seu estudo e para formar seu próprio estilo de caligrafia.

Ele se compenetrava tanto meditando sobre a escrita e a estrutura dos caracteres chineses que muitas vezes ele perdia a noção do tempo, ignorando refeições ou deixando de dormir. Uma história conta que uma vez quando ele estava concentrado exercitando sua caligrafia, seu servo trouxe um prato de pãezinhos cozidos no vapor e uma tigela de molho. Mais tarde, sua esposa entrou em sua sala de estudo e encontrou-o mergulhando um pãozinho em tinta e prestes a comê-lo.

Wang Xizhi tinha bancadas de escrita em cada ambiente de sua casa e sempre que pensava num caractere chinês com uma boa estrutura, ele pegaria o pincel mais próximo para anotá-lo imediatamente.

Por um bom tempo, Wang Xizhi não foi um dos mais prestigiados calígrafos, mas ele trabalhou duro por muitos anos para se aperfeiçoar. Seu pulso era forte e estável e diz a história que certa vez ele escreveu algumas palavras numa mesa e elas não se apagariam mesmo com água. Em outra ocasião, ao esculpir uma placa de madeira em que Wang Xizhi tinha escrito algumas palavras, o carpinteiro descobriu que a tinta tinha penetrado na placa até 3 fen (uma unidade tradicional chinesa para comprimento; 1 fen equivale a 0,33 centímetros). Mais tarde, as pessoas chamaram a escrita de Wang Xizhi de “penetrando 3 fen na madeira” e esta se tornou uma expressão em língua chinesa.

Uma cópia do “Prefácio aos Poemas Escritos no Pavilhão da Orquídea” de Wang Xizhi (Imagem da internet)

Além do entusiasmado pela caligrafia e pela literatura, Wang Xizhi é lembrado por um de seus hobbies, a criação de gansos. Diz-se que ele descobriu como manobrar o pincel enquanto observava a postura dos gansos.

Uma vez, Wang Xizhi e seus amigos realizaram um banquete no Pavilhão da Orquídea, onde eles compuseram muitos poemas enquanto desfrutavam o momento. No fim do banquete, eles haviam composto um total de 37 poemas. Wang Xizhi escreveu um prefácio como introdução à coleção de poemas e este se tornou seu trabalho de caligrafia mais proeminente. O texto completo do “Prefácio aos Poemas Escritos no Pavilhão da Orquídea” consiste de 320 palavras, escritas em diferentes estilos, mas com unidade e elegância.

Infelizmente o original do prefácio de Wang Xizhi foi perdido, mas várias cópias existem hoje e são usadas como um modelo para o estilo cursivo de caligrafia.

Para conhecer outras figuras históricas da antiga China, clique aqui.

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas