Uber diz que não precisa gastar mais com trabalhadores

As práticas trabalhistas da Uber têm sido objeto de controvérsia há bastante tempo

Por Nicholas Dolinger 

A Uber disse que não precisará gastar mais para atrair motoristas de volta ao aplicativo, tentando tranquilizar os investidores depois que a proeminente concorrente da empresa, Lyft, disse que eles precisariam investir mais pesadamente nos custos trabalhistas após um relatório trimestral de ganhos pouco lisonjeiro.

Na manhã de quarta-feira, a Uber divulgou seu próprio relatório trimestral de ganhos, com resultados considerados significativamente distintos dos de seu principal concorrente.

“Você ouviu, eu acho que ontem à noite, que um de nossos concorrentes nos Estados Unidos está tendo desafios”, disse Dara Khosrowshahi durante uma ligação pós-ganhos em uma crítica sutil ao Lyft. Khosrowshahi é o CEO da Uber e descendente da rica família iraniana Khosrowshahi, que inclui vários executivos e empreendedores de alto nível.

No entanto, Khosrowshahi observou que a base de motoristas da Uber se recuperou para um nível pré-pandemia, sugerindo que nenhum investimento adicional seria necessário para atrair os motoristas de volta à plataforma.

Na terça-feira, a Lyft divulgou um relatório trimestral que indicava que a empresa teria que gastar mais dinheiro para trazer os motoristas para o aplicativo, já que as taxas de ganhos atuais eram insuficientes para incentivar os motoristas a trabalhar como contratados em nome da Lyft. Isso fez com que as ações da empresa caíssem 26%.

A Uber não ficou ilesa após o relatório da Lyft, com as ações da empresa caindo 11% nas negociações após o expediente. Mas a Uber recuperou parcialmente essas perdas, transferindo seu relatório de lucros da tarde de quarta-feira para a manhã de quarta-feira. No fechamento do pregão de terça-feira, as ações da empresa caíram apenas 4%.

No entanto, o relatório do primeiro trimestre da Uber destacou as diferenças entre as duas empresas de carona concorrentes. A Lyft relatou ganhos de US $24 por hora em março, excluindo uma taxa de combustível de 55 centavos por viagem. Enquanto isso, a Uber indicou que os ganhos médios por hora para contratados que dirigem mais de 20 horas por semana no primeiro trimestre foram em média de US$ 39 por hora, excedendo significativamente a taxa da Lyft (apesar das taxas de combustível estarem incluídas nos ganhos médios por hora da Uber).

Com a força dessa disparidade na renda dos motoristas, a Uber tentou garantir aos investidores que a empresa não precisará de mais investimentos para atrair potenciais contratados a pegar novamente a estrada em nome do aplicativo. No entanto, preocupações trabalhistas persistentes continuam sendo uma pedra no sapato da empresa, que enfrentou desafios legais em seu modelo de negócios no passado.

As práticas trabalhistas da Uber têm sido objeto de controvérsia de longa data, com críticos alegando que a empresa usa a designação de seus motoristas como “terceirizado” para evitar o pagamento de benefícios e garantir aos motoristas uma taxa horária garantida. As controvérsias sobre esse assunto vieram à tona na Califórnia em 2019, quando os legisladores aprovaram uma lei para exigir que empresas como Uber e Lyft empregassem seus motoristas, e o governo estadual entrou com ações judiciais para fazer com que a medida fosse cumprida.

Uber e Lyft responderam ameaçando deixar o estado se as medidas não fossem revertidas, e ambas as empresas investiram pesadamente na Proposta 22 da Califórnia, uma iniciativa de votação para reverter a lei mencionada. A Proposta 22 foi aprovada com 59% dos votos em novembro de 2020 e, apesar dos desafios legais subsequentes, os motoristas das principais empresas de compartilhamento de viagens continuaram operando como terceirizados.

Apesar dos números tranquilizadores sobre a renda média por hora dos motoristas, o relatório do primeiro trimestre da Uber não transmitiu apenas arco-íris e sol para a corporação. O relatório observou que o trimestre mais recente registrou uma queda nos usuários ativos mensais em relação ao trimestre anterior, embora essa seja uma tendência sazonal comum que pode ou não refletir uma preocupação mais ampla para a empresa.

Até o momento, o preço das ações da Uber caiu mais de 4% desde a manhã de quarta-feira, refletindo o contínuo ceticismo dos investidores, apesar das garantias do relatório trimestral.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas