Tufão e inundações atingem China enquanto fortes chuvas ameaçam barragem das Três Gargantas

Inundações e deslizamentos de terra afetaram mais de 100.000 pessoas em 31 distritos e condados

Por Frank Fang

Fortes chuvas na província de Sichuan, sudoeste da China, nas proximidades da megacidade de Chongqing e na província de Gansu, deixaram muitas áreas submersas na água, devido ao transbordamento do rio Yangtze e vários de seus afluentes.

A severidade das tempestades levou o Ministério de Recursos Hídricos da China a emitir um severo alerta no final de 18 de agosto sobre o nível da água no reservatório das Três Gargantas, que está localizado na parte superior do rio Yangtze.

A água que entra na barragem deve chegar a mais de 74.000 metros cúbicos por segundo na manhã de 20 de agosto, o nível mais alto desde que foi colocada em serviço em 2003, disse o ministério, de acordo com um relatório da agência estadual de notícias Xinhua.

A Heritage Foundation, com sede nos Estados Unidos, alertou no início de agosto que enchentes excessivas estão colocando represas rio acima do rio Yangtze sob pressão crescente.

No caso do colapso da barragem das Três Gargantas, o grupo de especialistas disse que a enorme torrente de água afetaria milhões de pessoas que vivem rio abaixo, inundando cidades como Wuhan e devastando vastas terras agrícolas, aumentando a ameaça de escassez de alimentos.

Em Sichuan, as autoridades locais elevaram seu alerta de controle de enchentes para o nível mais alto (nível um) do sistema de quatro camadas da China na terça-feira, um dia depois de aumentar seu nível de três para dois, de acordo com a Xinhua. As enchentes forçaram as autoridades locais a evacuar mais de 100.000 pessoas na terça-feira, algumas delas residentes de Ya’an que tiveram que fugir depois que os diques de água da cidade romperam na segunda-feira.

Também em Sichuan, o Buda Gigante de Leshan, uma estátua de 71 metros de altura declarada Patrimônio Natural e Cultural da Humanidade pela UNESCO, teve a água da enchente cobrindo seus dedos, de acordo com relatos da mídia estatal chinesa.

Chongqing está em um nível de vigilância contra inundações desde terça-feira à tarde, quando as inundações e deslizamentos de terra afetaram mais de 100.000 pessoas em 31 distritos e condados, de acordo com as autoridades.

Na província de Gansu, localizada a nordeste de Sichuan, a cidade de Longnan foi particularmente afetada pelas enchentes. Mais de 300 casas pertencentes a cerca de 1.300 residentes no condado de Wen, que fica no sul de Longnan, foram soterradas por um deslizamento de terra causado pelas enchentes, segundo a mídia estatal chinesa.

A China tem enfrentado fortes tempestades desde junho. As enchentes afetaram pelo menos 54,8 milhões de pessoas em 27 províncias e regiões, de acordo com os últimos dados do Ministério de Gestão de Emergências da China. Mas alguns internautas chineses questionam os dados das autoridades e acreditam que o número real de vítimas é maior.

Também na terça-feira, pela primeira vez desde a temporada de enchentes deste ano, o líder chinês Xi Jinping visitou residentes afetados na província de Anhui, no leste da China, visitando regiões próximas ao rio Huai, que fica entre o Rio Yangtze, ao sul, e o Rio Amarelo, ao norte.

Como as enchentes continuam a devastar grande parte da China, o tufão Higos atingiu a costa em 19 de agosto na província de Guangdong, no sul da China, por volta das 6h, horário local, de acordo com a Xinhua. As províncias vizinhas de Hainan e Guangxi também deverão sofrer fortes chuvas.

O bureau de educação da cidade de Zhuhai, Guangdong, ordenou a suspensão das aulas na quarta-feira, enquanto muitos voos que entravam e saíam do Aeroporto Internacional Guangzhou Baiyuan foram cancelados.

Moradores locais

Os residentes dessas áreas afetadas pelas enchentes compartilharam suas histórias com o Epoch Times em língua chinesa.

Li, um residente do condado de Jintang em Sichuan, disse que as enchentes em sua área não foram tanto resultado de fortes chuvas, mas sim o transbordamento de água do vizinho rio Tuo, um afluente do Yangtze, que resultou de um vazamento do rio. Acima.

Li acrescentou que as enchentes em sua área começaram no dia 15 de agosto e somente na tarde de segunda-feira começaram a diminuir.

Xu, um residente de Chengdu, capital de Sichuan, disse que a água da chuva local atingiu cerca de 1,2 metros de altura e submergiu o primeiro andar de sua casa. Ele disse que grande parte de seus móveis, assim como a geladeira, máquina de lavar e ar condicionado, foram danificados pela água. Além disso, ele disse que galinhas, patos e coelhos que ele criou morreram afogados.

Xu estimou que suas perdas financeiras poderiam ficar entre 20.000 e 30.000 yuans (entre US $ 2.890 e US $ 4.340).

Ele disse que sua casa estava sem energia no domingo à tarde, quando o nível da água começou a subir. A energia foi restaurada na tarde de segunda-feira, mas o fornecimento de água foi interrompido por volta das 18 horas, horário local.

Ele acrescentou que três cidades perto de onde ele morava também estão sendo inundadas.

Moradores do condado de Wen de Gansu disseram que não puderam voltar para suas casas devido às enchentes. Um morador disse que sua cidade natal, Bikou, foi completamente inundada e a água atingiu dois andares de profundidade por volta das 18h00 locais na terça-feira. Ele não tinha certeza de quando poderia ir para casa.

Outro morador de Bikou, proprietário de uma fazenda, disse que uma estrada local foi fechada devido a deslizamentos de terra, acrescentando que o transporte público local também estava fora de serviço.

Siga Frank no Twitter: @HwaiDer

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:
 
Matérias Relacionadas