Trump jura ganhar a reeleição após GSA disponibilizar recursos para transição de Biden

Decisāo de transiçāo foi tomada em meio a uma grande quantidade de ameaças

Por Mimi Nguyn Ly e Allen Zhong

O presidente Donald Trump disse na segunda-feira que vencerá as eleições presidenciais de 2020 depois que a Administração de Serviços Gerais (GSA) indicou que disponibilizou recursos de transição para o candidato presidencial democrata Joe Biden.

“Nosso caso continua FORTEMENTE, vamos manter o bom combate e acredito que vamos vencer!” escreveu ele em um post no Twitter.

O anúncio de Trump segue uma carta que a administradora do GSA Emily Murphy enviou para Biden (pdf), onde ela notificou o ex-vice-presidente de que alguns recursos de transição, incluindo $ 6.300.000, para a equipe de transição de Biden cumprir as disposições da Seção 3 da Lei de Transição Presidencial e mais US $ 1.000.000 para a equipe de Biden fornecer sessões de orientação aos indicados e um diretório de transição, agora estão disponíveis para ele e sua equipe.

Para se qualificar para as dotações, a equipe Biden deve atender aos requisitos de relatórios descritos na Seção 6 da Lei de Transição Presidencial.

Em sua carta, Murphy afirmou explicitamente que a presidência ainda não foi decidida.

“O GSA não determina o resultado de disputas legais e recontagens, nem determina se tais procedimentos são razoáveis ​​ou justificados”, escreveu ela. “O verdadeiro vencedor da eleição presidencial será determinado pelo processo eleitoral detalhado na Constituição”.

Emily Murphy, administradora da Administração de Serviços Gerais, fala durante uma cerimônia de inauguração em Washington em 21 de junho de 2019 (Foto de Susan Walsh / AP)
Emily Murphy, administradora da Administração de Serviços Gerais, fala durante uma cerimônia de inauguração em Washington em 21 de junho de 2019 (Foto de Susan Walsh / AP)

A situação atual não foi tratada pela Lei de Transição Presidencial e o Congresso deveria emendar a lei, sugeriu ela fortemente.

Murphy disse que tomou a decisão de forma independente em meio a uma grande quantidade de ameaças.

“Eu, no entanto, recebi ameaças online, por telefone e por correio direcionadas para minha segurança, minha família, minha equipe e até mesmo meus animais de estimação em um esforço para me coagir a tomar essa decisão prematuramente. Mesmo diante de milhares de ameaças, sempre mantive o compromisso de fazer cumprir a lei”, dizia a carta.

Trump elogiou Murphy por sua inabalável dedicação e lealdade ao país.

“Quero agradecer a Emily Murphy da GSA por sua constante dedicação e lealdade ao nosso país. Ela foi assediada, ameaçada e abusada – e não quero que isso aconteça com ela, sua família ou funcionários da GSA”, escreveu o presidente.

GSA informa o Congresso

A GSA confirmou ao Epoch Times na segunda-feira que em breve informará alguns membros do Congresso sobre a transição presidencial.

Allison Brigati, uma administradora adjunta da GSA, passará 30 minutos em 30 de novembro para informar a Presidente de Supervisão da Câmara Carolyn Maloney (DN.Y.), a Presidente de Dotações da Câmara Nita Lowey (DN.Y.), e dois presidentes de subcomitê, Reps. Gerald Connolly (D-Va.) e Mike Quigley (D-Ill.).

Os principais republicanos em cada comitê e subcomitê também estarão no briefing. Eles são os representantes James Comer (R-Ky.), Kay Granger (R-Texas), Jody Hice (R-Ga.) e Steve Womack (R-Ark.).

A GSA também deve sediar em 30 de novembro um briefing presencial para membros da equipe do Comitê de Dotações do Senado, Comitê de Segurança Interna e Assuntos Governamentais do Senado e Comitê de Meio Ambiente e Obras Públicas do Senado, disse um porta-voz do GSA ao Epoch Times .

Funcionários dos comitês de verbas e supervisão da Câmara são convidados para o briefing da equipe do Senado.

A GSA, que supervisiona as transições presidenciais, ganhou destaque nacional depois que o candidato democrata à presidência, Joe Biden, declarou vitória na eleição de 2020. Trump alegou fraude eleitoral e disse que qualquer declaração de vitória é prematura. Sua campanha gerou contestações legais sobre uma variedade de supostas irregularidades nas votações em estados de batalha.

Embora vários meios de comunicação tenham declarado Biden como presidente eleito, o Epoch Times não declarará um vencedor da eleição presidencial de 2020 até que todos os resultados sejam certificados e quaisquer contestações legais sejam resolvidas.

Zachary Stieber e Jack Phillips contribuíram para este relatório.

Siga Mimi no Twitter: @MimiNguyenLy
Siga Allen no Twitter: @AllenZM

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas