Mutações ‘incomuns’ da variante Lambda podem gerar resistência a vacinas, dizem pesquisadores

Por Isabel Van Brugen

Os cientistas estão preocupados que uma variante de COVID-19 recentemente rotulada, detectada pela primeira vez no Peru, possa ser resistente às vacinas COVID-19 devido a mutações “incomuns”.

Pesquisadores da Universidade do Chile em Santiago disseram em um estudo publicado em um preprint na semana passada que a variante tem “um potencial considerável para se tornar uma variante preocupante”.

“Nossos dados mostram pela primeira vez que as mutações presentes na proteína spike da variante Lambda conferem escape aos anticorpos neutralizantes e aumenta o nível de infecção”, escreveram os pesquisadores no artigo que ainda não foi revisado por pares.

Acredita-se que a variante Lambda, também conhecida como C.37, tenha surgido no Peru em agosto do ano passado, mas só foi reconhecida como uma potencial ameaça global nas últimas semanas, com a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarando-a uma variante de interesse em 17 de junho, depois que apareceu em vários países simultaneamente.

A OMS disse que os “anticorpos neutralizantes” da variante podem aumentar sua transmissibilidade ou potencialmente aumentar sua resistência. Foi “associado a taxas substanciais de transmissão na comunidade em vários países”, disse.

No Peru, a cepa Lambda agora responde por 82% das novas infecções. Enquanto isso, Chile, Argentina, Brasil, Colômbia, Equador e México confirmaram casos generalizados da variante.

O virologista da OMS Jairo Mendez-Rico disse à DW que embora a cepa possa exibir taxas de infecção mais altas, não há indicação de que seja mais agressiva.

Mendez-Rico disse à agência que mais dados são necessários para comparar a cepa recém-rotulada com outras cepas existentes, como gama (P.1) e delta (B.1.617.2), que já foram categorizadas pela OMS como variantes de interesse.

Jeff Barrett, diretor da COVID-19 Genomics Initiative do Wellcome Sanger Institute no Reino Unido, disse ao Financial Times  que é um desafio “entender a ameaça do Lambda, usando dados computacionais e de laboratório” porque tem ” conjunto incomum de mutações, em comparação com outras variantes. ”

De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças , nenhum caso da cepa Lambda foi registrado nos Estados Unidos até agora.

“Considerando que essa variante se espalhou rapidamente no Peru, Equador, Chile e Argentina, acreditamos que Lambda tem um potencial considerável para se tornar uma variante de preocupação”, escreveram eles.

A OMS disse que mais estudos são necessários para “validar a eficácia contínua das vacinas” para a variante Lambda.

Entre para nosso canal do Telegram.

Siga o Epoch Times no Gab.

 
Matérias Relacionadas