Justiça determina que mulher de deputado devolva R$ 40 milhões ao Estado

Conforme foi divulgado pela reportagem do SPTV 2ª Edição, da TV Globo, na noite desta segunda-feira (24), a Justiça de Guarulhos, na Grande São Paulo, ordenou que a mulher do deputado federal Eli Corrêa Filho, do DEM, pague com juros e correção o dinheiro que recebeu pela desapropriação de um terreno onde estavam sendo feitas as obras do Rodoanel Norte. A investigação descobriu superfaturamento no pagamento. Atualizados, os valores são de aproximadamente R$ 40 milhões.

Francislene Corrêa é proprietária de um terreno de 230 mil metros quadrados, próximo ao Aeroporto Internacional de Guarulhos. Segundo o governo do estado, o valor do terreno era de R$ 9,7 milhões. Porém, na avaliação de um perito judicial, a área deveria ser desapropriada por R$ 71,5 milhões – ou seja, oito vezes mais. O caso veio a público há cerca de um ano, quando estava se iniciando a campanha eleitoral de 2016. Naquela ocasião, o casal disse que seu caso estava sofrendo exploração política.

O Ministério Público de São Paulo abriu uma investigação em 2016, que descobriu transferências suspeitas de valores entre juízes, peritos judiciais, advogados e proprietários de imóveis.

Um dos juízes que era responsável pelas desapropriações foi afastado pela Corregedoria do Tribunal de Justiça. Ele deu autorização para que a mulher do deputado sacasse uma parte do dinheiro das desapropriações, contra a qual a Dersa não pôde recorrer. Francislene retirou pouco mais de R$ 32 milhões do dinheiro da desapropriação.

Somado ao valor referente à desapropriação do terreno, Francislene Corrêa terá de pagar também juros e multa, totalizando mais de R$ 40 milhões. O advogado de Francislene afirmou que ela tem os valores e bens garantidos em juízo, o que ocorreu muito antes desta decisão. E que ela irá esperar o julgamento decisivo do mérito.

Leia também:
Juiz federal do DF suspende aumento nos combustíveis
PCC firma acordo comercial com organização terrorista Hezbollah
Processo contra Renan Calheiros é retomado no STF após oito meses

 
Matérias Relacionadas