França mata líder da Al-Qaeda no Sahel e promete continuar lutando contra o terrorismo

Por Agência EFE

O Exército francês matou no norte do Mali um líder da organização jihadista Al Qaeda no Magrebe Islâmico (AQIM) responsável pelo sequestro em novembro de 2013 de dois jornalistas franceses mortos durante o sequestro, disse o ministro da Defesa na sexta-feira. .

Em nota à imprensa, Parly indicou que a operação ocorreu em 5 de junho e que Baye ag Bakabo e três outros terroristas morreram,  segundo  informações iam atacar um enclave administrado pelo batalhão chadiano da missão das Nações Unidas. ( Minusma).

Ag Bakabo, de acordo com o ministro, orquestrou o sequestro e assassinato dos jornalistas da Radio France Internationale (RFI) Ghislaine Dupont e Claude Verdon em Kidal, norte do Mali.

A AQIM assumiu a responsabilidade por essas mortes em 2013, observando que elas ocorreram em “resposta aos crimes diários da França contra os direitos dos malianos e as ações das forças internacionais contra os muçulmanos em Azwad”, o terço norte do Mali.

Parly observou que a força francesa Barkhane contra grupos jihadistas detectou o ataque em andamento no sábado passado, em Aguelhok, no norte do Mali, e ativou seu dispositivo.

Felicitou o “profissionalismo” dos militares que desempenharam esta missão “delicada e complexa” e referiu que o seu desempenho reflete a prioridade da França no Sahel, que é o combate ao terrorismo.

Seu anúncio foi feito um dia depois que o presidente francês Emmanuel Macron anunciou que a força de Barkhane passará por uma “profunda transformação” pela qual deixará de ser uma operação estrangeira para se tornar uma operação de apoio e cooperação aos exércitos da região que desejarem.

“Embora o dispositivo mude, o objetivo permanece: a França continua comprometida com o contraterrorismo internacional, junto com os países do Sahel, e pela segurança da Europa e da França”, concluiu Parly.

Entre para nosso canal do Telegram.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas