Direita indiana pede censura ao Alcorão alegando ameaça à segurança nacional

"Eu encontrei no Alcorão muitas contradições e exemplos chocantes de violência contra não-muçulmanos e ex-muçulmanos, assim como de subornos a pessoas para desfrutar de um paraíso islâmico imaginário"

Por Agência Sputnik Brasil

Um grupo da direita indiana conhecido por suas posições polêmicas pediu ao governo o banimento do Alcorão do país, afirmando que o livro sagrado do islã representaria uma grave ameaça à segurança da Índia.

O presidente do Hindu Sena, Vishnu Gupta, enviou uma carta ao Ministério do Interior nesta segunda-feira (29) explicando suas críticas à obra.

“Eu encontrei nele muitas contradições e exemplos chocantes de violência contra não-muçulmanos e ex-muçulmanos, assim como de subornos a pessoas para desfrutar de um paraíso islâmico imaginário”, afirmou Gupta após ler um exemplar do Alcorão, livro que, segundo ele, serviria para enganar os jovens e promover o terrorismo ao afirmar que os muçulmanos que morrem lutando contra os inimigos de Alá (não-muçulmanos) poderiam desfrutar de belas mulheres eternamente.

“O governo da Índia iniciou um processo legal contra um pregador islâmico perigoso como Zakir Naik, mas a verdade é que Zakir Naik foi e é inspirado pelos ensinamentos desse livro, Corão, e suas ações e discursos são congruentes com o conteúdo e a mensagem do Alcorão”, disse.

Link para a matéria original: https://br.sputniknews.com/asia_oceania/2019072914298656-direita-indiana-pede-censura-ao-alcorao-alegando-ameaca-a-seguranca-nacional/

 
Matérias Relacionadas