China arma seus pescadores para aterrorizar mares vizinhos

A China tem uma nova Marinha. Trata-se de hordas de pescadores cujos barcos foram equipados com sistemas de navegação por satélite de nível militar que se conectam com a guarda costeira chinesa.

Os pescadores pagam apenas cerca de 10% do custo. O regime chinês arca com o resto. Assim que o sistema estiver instalado, eles também podem receber subsídios para ajudar o regime a fazer valer suas reivindicações territoriais e marítimas. Pescadores em Hainan estão sendo incentivados a se aventurar em águas disputadas e com seu sistema de satélite espera-se que reportem avistamentos de navios estrangeiros.

O sistema de satélites Beidou (BDS) é semelhante aos sistemas de localização GPS nos Estados Unidos, mas com algumas funções extras. O sistema chinês vem com um sistema de mensagens e alerta, que permite aos pescadores avisar e comunicar-se com as autoridades chinesas e embarcações próximas.

A China reivindica 90% do Mar do Sul da China e quase todas as ilhas na região. Suas reivindicações têm provocado conflitos com quase todos os outros países que fazem fronteira com o Mar do Sul da China, especialmente o Vietnã e as Filipinas.

Ao usar pescadores para ajudar a impor suas reivindicações, a China aumentou muito seu alcance naval e sua capacidade de localizar e negar acesso a navios de outros países.

Jogo sujo

O papel desempenhado por navios chineses nas disputas territoriais regionais remonta a 23 de novembro de 2013, quando o Ministério da Defesa da China anunciou uma ‘zona de exclusão aérea’ (ZEA) sobre águas internacionais no Mar do Leste da China, que inclui parte do território japonês. Pouco depois de a China estabelecer a ZEA, ela anunciou uma zona “sem pesca” no Mar do Sul da China. Em seguida, a China usou a ‘zona de exclusão de pesca’ (ZEP) como uma desculpa legal para perseguir navios de outras nações.

Usando o novo sistema BDS, os pescadores chineses no Mar do Sul da China podem ajudar o regime comunista chinês a impor sua ZEP. Alguns pescadores foram ainda mais longe – participando de manobras militares da China para capturar e controlar novos territórios, favorecendo a crescente pressão e belicosidade chinesa para controlar o Mar do Sul da China.

Em maio, a China deslocou e instalou uma plataforma de petróleo na Zona Econômica Exclusiva (ZEE) do Vietnã, ao sul da ilha chinesa de Hainan. E enviou uma armada de cerca de 80 navios para acompanhar e escoltar a plataforma e petróleo. Dentre os navios militares e da guarda costeira na armada chinesa estavam também seus navios de pesca, que ativamente perseguiram e supostamente abalroaram navios vietnamitas.

Generais do exército chinês falaram abertamente sobre como eles usam os pescadores em estratégias militares da China, particularmente quando abocanham novos territórios. O major-general chinês Zhang Zhaozhong discutiu uma estratégia do tipo numa entrevista em maio de 2013 na televisão chinesa.

Zhang disse que quando a China se envolve em disputas territoriais, eles primeiro enviam navios de pesca para a área, em seguida, navios de vigilância marítima e, finalmente, navios de guerra. Ele descreveu a abordagem como uma “estratégia de repolho”, que toma uma área camada por camada. “A ilha é assim envolvida camada por camada como um repolho… e uma estratégia de repolho toma forma”, disse Zhang, acrescentando que “entre outras coisas, temos de aproveitar o momento certo para fazer isso”.

Força contratada

A mídia estatal chinesa Xinhua afirmou que o BDS “ajudará a estabelecer um sistema de segurança para proteger os pescadores na província de Hainan”, e referiu-se aos conflitos territoriais da China. Também observou que, em dezembro de 2013, mais de 50 mil barcos de pesca chineses tinham o sistema BDS instalado.

Qi Chengye, gerente da BDStar Navigation, que fornece o sistema BDS para 80% dos navios de pesca da China, também disse que o regime chinês tem promovido o sistema. “O governo chinês tem dado grandes subsídios para incentivar os pescadores a instalarem o BDS”, disse Qi Chengye à Xinhua. “O governo paga pela maior parte do custo de instalação do cliente e dá aos pescadores subsídios de diesel de acordo com a distância e frequência que seus navios saem para o mar”, disse ele.

A Reuters obteve informações semelhantes. Vários pescadores em Hainan disseram à agência de notícias que as autoridades estavam incentivando-os a navegar para águas disputadas. Um pescador disse que eles são pagos com base no tamanho de seus motores, com seu motor de 500 cavalos de potência rendendo-lhe 320 a 480 dólares por dia. Nenhum pescador entrevistado pela Reuters disse ter usado o BDS para fazer uma chamada de socorro.

 
Matérias Relacionadas