Publicado em 18/11/2016 às 10:14 - Atualizado em 18/11/2016 às 10:14

Garotinho se desespera ao ser levado do hospital para presídio de Bangu (+Vídeo)

Garotinho reage na transferência para o presídio

O ex-governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho, debateu-se ao ser transportado de maca do hospital para ser embarcado em uma ambulância, por ordem do juiz Glaucenir Silva de Oliveira, da 100º Zona Eleitoral do Rio de Janeiro, em Campos dos Goytacazes (norte fluminense). Foi ordenada sua imediata transferência do Hospital Municipal Souza Aguiar, no centro do Rio, para o presídio Frederico Marques, no complexo penitenciário de Bangu (zona oeste). Às 21h45 desta quinta-feira (17), um oficial de justiça e policiais federais chegaram ao Hospital Souza Aguiar para dar início à transferência de Garotinho, de acordo com o advogado dele, Fernando Fernandes.

Na quarta-feira, Garotinho foi acusado pelo juiz eleitoral de comprar votos e portanto teve sua prisão decretada. Na decisão desta quinta, o juiz escreveu que tomou conhecimento de que o ex-governador “está recebendo diversas regalias no Hospital Souza Aguiar”. Garotinho chegou à unidade de saúde às 18h15 de quarta-feira depois de reclamar de crise hipertensiva enquanto esperava na sede da Polícia Federal (PF) no Rio, por sua transferência para a PF em Campos.

“Nenhum preso tem direito a qualquer regalia ou tratamento diferenciado, seja em unidade prisional ou hospitalar, situação que a par de ferir a isonomia constitucional, constitui, em tese, crime para quem presta a referida regalia. Mostra-se imperioso fazer cessar quaisquer regalias que o réu possa estar recebendo”, escreveu o juiz na decisão desta quinta.

Leia também:
OMC condena política industrial brasileira
Lula recebeu propina em dinheiro vivo, diz Odebrecht

Oliveira explicou que determinou a transferência porque “o referido complexo penitenciário é provido de uma Unidade de Pronto Atendimento e, segundo foi informado pelo diretor do sistema penitenciário, naquela unidade prisional é possível realizar o tratamento adequado”. No presídio Frederico Marques, o ex-governador deve passar por um procedimento de dessensibilização, que é preparatório para outro exame, o qual deverá ser feito em um hospital público em data ainda a ser agendada.

“Realizada a dessensibilização, o custodiado deve ser encaminhado ao Hospital Aloysio de Castro para que lá seja internado com objetivo de realizar o exame descrito. Com o resultado do exame, poderá ser proferida nova decisão quanto ao local onde o réu ficará custodiado”, concluiu o juiz. Aloysio de Castro é o nome oficial do Instituto Estadual de Cardiologia, situado no Humaitá (zona sul do Rio).

Policiais federais prenderam Garotinho às 10h30 de quarta-feira em um apartamento na Rua Senador Vergueiro, no Flamengo (zona sul do Rio). A Operação Chequinho, da qual a prisão preventiva (sem data para terminar) faz parte, investiga o uso do programa Cheque Cidadão para conseguir apoio eleitoral. Garotinho trabalha como secretário de Governo de Campos, cidade governada pela mulher dele, a ex-governadora Rosinha Garotinho, também do PR. Para obter vitória na eleição de 2016, quase 20 mil moradores da cidade teriam ganho irregularmente o benefício. Enquanto aguardava para ser transferido para Campos, onde ficaria detido na sede da Polícia Federal, Garotinho se queixou de uma crise hipertensiva e foi então transferido para o Souza Aguiar.

Todo conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito ao Epoch Times em Português e para o repórter da matéria.
Leia a diferença. Epoch Times Todos os direitos reservados © 2000-2016