Vítimas de Epstein poderão receber indenização de um fundo de US$ 630 milhões

Por EFE

Nova Iorque, 26 jun (EFE).- As vítimas do bilionário Jeffrey Epstein, que cometeu suicídio em agosto do ano passado em sua cela em Nova Iorque (EUA) enquanto aguardava julgamento por crimes de tráfico sexual de menores, poderão agora solicitar uma indenização de um fundo de US$ 630 milhões recentemente aprovado pela justiça americana.

“Qualquer pessoa que tenha sofrido abusos de Epstein como menor ou adulto é elegível para participar deste programa”, disse a advogada Gloria Allred, que defendeu várias vítimas do bilionário e que enfatizou que “o processo é totalmente confidencial”.

A administradora do fundo, Jordana H. Feldman, declarou que mais de 70 mulheres podem solicitar essa compensação.

“Se precisarmos de mais dinheiro, com certeza vou utilizar os ativos e analisar o que pode ser feito para obter liquidez através de outros bens”, disse ela.

Já Allred afirmou em seu site que o período para solicitar este auxílio é limitado, mas não deu detalhes sobre quanto tempo essa janela permanecerá aberta.

“Epstein usou sua posição como um indivíduo rico e poderoso para tirar proveito e abusar sexualmente de centenas e possivelmente milhares de meninas e mulheres. Epstein frequentemente atraía meninas e mulheres para sua órbita, oferecendo-lhes a oportunidade de usar sua imensa riqueza, poder e proximidade da fama para melhorar a situação delas”, afirmou a advogada.

Embora o processo criminal contra Epstein tenha sido encerrado após ele cometer suicídio na prisão em 10 de agosto de 2019, uma investigação do FBI sobre a possível existência de uma rede de tráfico e recrutamento sexual de crianças em torno do milionário e seus amigos continua aberta.

 
Matérias Relacionadas