Vírus do PCC pode se espalhar pela transmissão aérea, afirma o CDC

“Esses vírus podem infectar pessoas que estão a mais de 6 metros de distância da pessoa infectada ou depois que essa pessoa deixou o local”

Por Zachary Stieber

O vírus do PCC (Partido Comunista Chinês) causa a doença de COVID-19.

O vírus às vezes pode se espalhar quando pequenas gotículas e partículas permanecem no ar por minutos ou mesmo horas, disse o CDC em seu guia atualizado.

“Esses vírus podem infectar pessoas que estão a mais de 6 metros de distância da pessoa infectada ou depois que essa pessoa deixou o local”, disse a agência.

Há meses, os americanos ouvem dizer que devem se distanciar socialmente – ou manter uma distância de 1,80 metro – de membros não familiares para evitar a transmissão do vírus.

O guia de transmissão diz que o vírus se espalha mais comumente por contato próximo, outro termo para pessoas que estão a menos de dois metros umas das outras.

“Quando as pessoas com COVID-19 tossem, espirram, cantam, falam ou respiram, elas produzem gotículas respiratórias. Essas gotículas podem variar em tamanho, desde gotículas maiores (algumas das quais são visíveis) até gotículas menores. Pequenas gotículas também podem formar partículas quando secam muito rapidamente na corrente de ar”, afirmou o CDC.

As infecções ocorrem principalmente por meio da exposição a gotículas respiratórias quando uma pessoa está em contato próximo com um indivíduo infectado, de acordo com a agência de saúde. As gotículas são inaladas ou depositadas nas membranas mucosas, como as que revestem o nariz e a boca, causando infecção.

A sede do Centers for Disease Control (CDC) em Atlanta, Geórgia, em 23 de abril de 2020 (Tami Chappell / Getty Images)
A sede do Centers for Disease Control (CDC) em Atlanta, Geórgia, em 23 de abril de 2020 (Tami Chappell / Getty Images)

Em uma declaração sobre a nova orientação, o CDC disse que “continua a acreditar, com base na ciência atual, que as pessoas têm maior probabilidade de se infectar se estiverem por muito tempo muito perto de uma pessoa com COVID-19”.

“A atualização de hoje reconhece a existência de alguns relatórios publicados mostrando circunstâncias limitadas e incomuns em que pessoas com COVID-19 infectaram outras que estavam a mais de 6 pés de distância ou logo após a pessoa positiva para COVID-19 deixar uma área. Nesses casos, a transmissão ocorreu em espaços fechados e mal ventilados, que frequentemente envolviam atividades que causavam respiração mais pesada, como canto ou exercícios. Tais ambientes e atividades podem contribuir para o acúmulo de partículas portadoras de vírus ”, afirmou a agência.

A nova orientação chega cerca de duas semanas depois que o CDC publicou uma orientação atualizada sobre como o vírus se espalha, mas removeu rapidamente as atualizações, dizendo que um rascunho foi postado acidentalmente.

O CDC não respondeu imediatamente a um pedido do Epoch Times para comentar sobre quais novos estudos ou ensaios clínicos nos quais a agência está baseando sua atualização.

Em um resumo científico que é apresentado como informação de apoio para a orientação atualizada, o CDC cita um estudo publicado pela primeira vez em agosto que examinou a propagação de gotículas de 12 cantores. Os pesquisadores disseram que o canto gerou mais partículas e gotículas de aerossol respiratório do que a fala.

A maioria dos outros estudos citados no briefing foi publicada em julho ou antes. Os outros recentes foram: um exame de um surto de COVID-19 em academias de ginástica na Coreia do Sul em fevereiro e março, um estudo de coorte de 128 pessoas que andaram de ônibus e participaram de um evento de adoração na China em janeiro; e uma revisão de outros estudos sobre a possível transmissão aerossol do vírus, também conhecido como SARS-CoV-2.

O resumo afirma que os dados disponíveis sugerem que o vírus se espalhou principalmente através da transmissão de gotículas respiratórias em um raio de seis pés e que “não há evidência” de disseminação rápida e rotineira para pessoas distantes ou que entram em um espaço horas depois que uma pessoa infectada estar lá.

Um paramédico com o Corpo de Bombeiros do Condado de Anne Arundel testa sua máscara N-95 no início de seu turno de 24 horas em Glen Burnie, Maryland, em 9 de abril de 2020 (Alex Edelman / AFP via Getty Images)
Um paramédico com o Corpo de Bombeiros do Condado de Anne Arundel testa sua máscara N-95 no início de seu turno de 24 horas em Glen Burnie, Maryland, em 9 de abril de 2020 (Alex Edelman / AFP via Getty Images)

No entanto, existem vários exemplos bem documentados em que o vírus “parece ter sido transmitido por longas distâncias ou tempos”, de acordo com o CDC.

“Esses eventos de transmissão parecem incomuns e geralmente envolvem a presença de uma pessoa infecciosa produzindo gotículas respiratórias por um período prolongado (> 30 minutos a várias horas) em um espaço fechado. Havia vírus suficiente no espaço para causar infecções em pessoas que estavam a mais de 6 pés de distância (1,8 metros) ou que passaram por aquele espaço logo após a saída da pessoa infectada”.

As situações incluíram espaços fechados, exposição prolongada e ventilação inadequada de manuseio de ar.

“As intervenções existentes para prevenir a disseminação do SARS-CoV-2 parecem suficientes para lidar com a transmissão tanto por contato próximo quanto sob as circunstâncias especiais favoráveis ​​à potencial transmissão aérea. Entre essas intervenções, que incluem distanciamento social, uso de máscaras na comunidade, higienização das mãos e superfície, limpeza e desinfecção, ventilação e prevenção de espaços internos lotados são especialmente relevantes para espaços fechados, onde as circunstâncias podem aumentar a concentração de pequenas gotas suspensas e partículas transportando vírus infecciosos”, declarou o CDC.

“No momento, não há indicação de que a comunidade em geral precise usar controles especiais de engenharia, como os necessários para proteger contra a transmissão aérea de infecções, como sarampo ou tuberculose, no ambiente de saúde.”

A pesquisa sobre a melhor forma de prevenir a COVID-19 continua, disseram autoridades de saúde.

Siga Zachary no Twitter: @zackstieber

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas