Uma olhada dentro dos lockdowns ‘Zero-COVID’ na China

Os lockdowns servem os propósitos do PCCh ao mesmo tempo que desmoraliza cidadãos chineses

Por Stu Crvk

Comentário

A mídia estatal chinesa tem feito alarde sobre os esforços supostamente gloriosos das autoridades da saúde pública chinesas – com seus agentes de segurança locais em segundo plano – para conter a disseminação da COVID-19 nas cidades chinesas sob o guarda-chuva da grande política “Zero-COVID” de Xi Jinping.

O propaganda contínua sobre esse assunto serve a vários propósitos para o Partido Comunista Chinês (PCCh): (1) convencer o povo chinês e o mundo de que a totalitário política “zero-COVID” que está arruinando a vida dos chineses realmente funciona; (2) propagar ao mundo a mensagem ilusórias e de medo de que a “pandemia” ainda está acontecendo; (3) manter sob controle qualquer dissidência doméstica, especialmente em Xangai, levando à esperada aprovação do status de liderança contínua de Xi no próximo 20º Congresso Nacional do PCCh; e (4) camuflar os problemas econômicos chineses por meio da interrupção proposital das redes globais de fornecimento que afetam negativamente a economia mundial.

O PCCh parece estar jogando um pôquer de alto risco em busca desses propósitos porque, intencionalmente ou não, os lockdowns “zero-COVID” também estão destruindo a economia chinesa, conforme relatado anteriormente pelo Epoch Times aqui.

Os olhos contemplam o fluxo interminável de manchetes “zero-COVID” que reforçam os propósitos de propaganda do PCCh por trás da política de “zero COVID”. Alguns exemplos recentes incluem o seguinte:

  • “Especialistas: a estratégia anti-COVID funciona” (China Daily)
  • “Abolir a abordagem da dinâmica de zero-COVID na China pode causar 1,55 milhão de mortes: estudo” (China Daily)
  • “Xangai registra menor contagem diária desde 24 de março, pode precisar combater a nível comunitário ‘até 8 de junho’” (Global Times)
  • “A zero-covid da China será benéfico para a economia mundial” (Global Times)
  • “Correndo contra o tempo e o vírus, a China merece confiança global” (Diário do Povo)
  • “Abordagem dinâmica da zero-COVID, a escolha da China para proteger vidas, sustenta o crescimento econômico” (China Daily)

Ad nauseum. Em relação a esse último item, o PCCh acredita seriamente que “Zero-COVID” é “a escolha da China”? Leia.

O que os lockdowns realmente significam para os cidadãos chineses médios que precisam suportá-los?

Como o The Wall Street Journal informou em 10 de maio, se uma única pessoa em um prédio de apartamentos testar positivo, as pessoas em todo o prédio precisam ser isoladas enquanto a pessoa infectada e todos os ocupantes desse apartamento são transferidos para instalações centralizadas de quarentena.

O Wall Street Journal informou ainda, em 15 de maio, que os testes em massa agora são a norma, com testes negativos necessários para fazer atividades diárias simples, como comprar mantimentos ou andar de metrô. Imagine estar sob esse regime dia após dia!

Para resumir o que os rígidos lockdowns significam para o cidadão comum: lockdowns iniciados a qualquer momento sem aviso prévio; restrição aos aposentos de alguém (incluindo estar fisicamente trancado); ser enviado para uma instalação de quarentena se testar positivo; acesso limitado ou inexistente a hospitais para procedimentos médicos de rotina e atendimento de urgência; disponibilidade reduzida de alimentos (alguns podem ser fornecidos pelo governo e alguns encomendados em massa para entrega, se tiver sorte); e “fuga” da quarentena domiciliar autorizada apenas para testes diários obrigatórios para a COVID.

Um funcionário de segurança tranca uma porta com uma corrente em um bairro sob um lockdown da COVID-19 no distrito de Jing'an, em Xangai, em 2 de junho de 2022 (Hector Retamal/AFP via Getty Images)
Um funcionário de segurança tranca uma porta com uma corrente em um bairro sob um lockdown da COVID-19 no distrito de Jing’an, em Xangai, em 2 de junho de 2022 (Hector Retamal/AFP via Getty Images)

A ​​paciência das pessoas está se esgotando na oitava semana de lockdown em Xangai e outras cidades chinesas?

Em um vídeo de 16 de maio, feito por Fang Zhouzi (@fangshimin), um muckraker chinês que se opõe à pseudociência e outras fraudes, fornece evidências impressionantes de discórdia. Nele, dois grupos de pessoas vestidas com trajes de biossegurança se atacam do lado de fora do que provavelmente é um prédio de apartamentos.

Embora o contexto do confronto não seja claro, uma dedução lógica é que a situação tinha algo a ver com a aplicação do lockdown em nome da política “zero-COVID”, já que todos no vídeo estavam vestidos com roupas de biossegurança. Algumas especulações informadas são fornecidas abaixo, cortesia de um amigo que é fluente em chinês e rotineiramente se comunica com amigos chineses de longa data no continente. Ele descreveu a situação como “uma bagunça” (yī tuán luàn一團亂). E dado que a população chinesa está fervendo com os contínuos lockdowns, a probabilidade é alta de que esse tipo de incidente provavelmente esteja acontecendo em outro lugar.

Em primeiro lugar, meu amigo frequentemente se refere ao pessoal médico chinês usando roupas de biossegurança com termo “grande branco” (dàbái 大白). Essas pessoas eram todas profissionais da saúde no início da pandemia na China. Desde o início dos lockdowns brutais de Xangai, muitos executores da “zero-COVID” estavam vestidos com trajes de proteção brancos com listras azuis.

Com o passar do tempo, os bloqueios se institucionalizando e os procedimentos mais brutais, uma parcela considerável dos “grandes brancos” se transformou em executores, incluindo a “gestão urbana” (chéngguǎn 城管), a temida parapolícia que assola as cidades chinesas. Isso é realmente perturbador, já que estes últimos – em anos anteriores – eram famosos por espancarem até a morte vendedores de frutas nas ruas e pessoas que resistiam à demolição de suas casas (“chāi 拆”) durante projetos forçados de renovação e expansão urbana.

O incrível vídeo de Fang Zhouzi fornece um modelo para o que quase certamente está acontecendo na China regularmente nos dias de hoje: a polícia está espancando “o povo” e há conflitos entre grupos hostis de indivíduos que querem – como refletido em suas roupas, comportamento e equipamentos — ser vistos como os que cumprem os desejos de alguma autoridade.

Aqui estão algumas especulações de um de seus amigos na China no vídeo. Ele só ouviu “a polícia bater em algum” (警察打人了) dos espectadores (talvez aquele que fez o vídeo, que foi duramente criticado nos comentários por ser um covarde e não ousar entrar na luta). Alguns comentários sugerem que as pessoas de azul eram guardas reais, enquanto as de branco eram as que estavam em quarentena. Parece que os azuis são policiais como eles estavam batendo nos de branco.

A seguir, algumas especulações de um “ardente patriota da República Popular da China”, que vê o vídeo como um confronto entre representantes de associações comunitárias vestidos de azul e trabalhadores de saúde/hospital uniformizados brancos que querem entrar na comunidade para fazer seu trabalho de “zero-COVID”. Segundo essa pessoa, o confronto ocorreu na entrada de uma “comunidade” (xiǎoqū 小区).

As pessoas de vestes brancas são do “sistema médico” (医疗系统). Eles são enfermeiros e médicos – geralmente estranhos a uma comunidade, mas mais altos no sistema hierárquico em relação a regulamentos e comandos. As pessoas de vestes azuis são do “sistema de trabalho comunitário” (社区工作系统) ou “escritório de rua” (街道办事处). Eles geralmente são “funcionários públicos” (公务员) que foram selecionados (ou voluntários) para servir a comunidade. Em tempos normais, mediariam brigas entre duas famílias; eles estariam familiarizados com todos que vivem na comunidade e, se você os encontrar, eles diriam “oi” para você e perguntariam como você está, ou eles estariam encarregados de todos os tipos de assuntos da comunidade/condomínio.

Então, em suma, isso parece ser uma “batalha” na entrada de uma certa comunidade entre “os de dentro” e “os de fora”. Os “de dentro” vestem azul. Seu trabalho é servir a comunidade, e alguns dos mantos azuis podem ser representantes dos moradores da comunidade para a qual trabalham. Então eles falam pela comunidade. Os “forasteiros” vestem branco. Eles são profissionais de saúde enviados de hospitais. Eles não se importam com nenhuma comunidade individual; eles se preocupam com a situação da COVID em geral e visitam todas as comunidades.

Portanto, no cenário parece que os “forasteiros do cuidado médico” vestidos de branco querem entrar em uma determinada comunidade – talvez para selar as portas das pessoas com “fitas de quarentena”, ou talvez para continuar construindo um muro ou fazendo outras coisas. Os “de dentro do serviço comunitário” de túnica azul querem impedi-los de entrar e, por isso, continuam a expulsá-los – talvez já tenham ficado em quarentena por muito tempo e tenham conquistado sua liberdade, ou queriam proteger uma família específica de ser carregada para o “hospital de cabine quadrada” (方舱医院) ou uma instalação de quarentena, ou por outros motivos.

No final do vídeo, você pode ver que duas pessoas de túnica branca estavam deitadas no chão, espancadas pelos de túnica azul. Talvez não seja tanto sobre a quarentena, mas simplesmente eles queriam salvar seu próprio povo.

Comentários finais

A maioria dos americanos e outros ocidentais ignoram totalmente as medidas draconianas de lockdown da política “zero-COVID” que estão sendo implementadas em muitas cidades chinesas. Todas as liberdades individuais são sacrificadas pelo que o PCCh arbitrariamente transmite como o “bem comum do povo chinês” (um eufemismo típico do PCCh).

Há uma estratificação completa na sociedade chinesa e uma incrível hierarquia de funcionários que chega até os aposentos dos cidadãos chineses médios para tomar até mesmo as decisões mais básicas longe do chinês médio. Ai daquelas almas corajosas que contrariam o sistema!

O insight mais surpreendente da especulação acima sobre o confronto do vídeo azul-contra-branco foi a atitude alegre e sem emoção expressa pelo defensor do regime chinês, que parecia aceitar sem preocupação que o que aconteceu foi uma experiência normal a ser esperada no regime comunista chinês.

O céu proíbe que os americanos experimentem complacência semelhante durante futuros lockdowns nos Estados Unidos. Você só sabe que esse dia está chegando se o Partido Democrata conseguir o que quer.

As opiniões expressas neste artigo são as opiniões do autor e não refletem necessariamente as opiniões do Epoch Times.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas