Trump pede a Putin que promova transição na Venezuela após saída da Rosneft

Por EFE

Washington, 30 mar – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu nesta segunda-feira ao presidente da Rússia, Vladimir Putin, para ajudar em uma transição na Venezuela após a companhia petrolífera estatal russa Rosneft ter cessado as operações no país sul-americano e criticou a guerra de preços entre Moscou e a Arábia Saudita, a qual chamou de “louca”.

Foi uma longa conversa por telefone, relatada primeiramente pelo Kremlin, e que se concentrou principalmente nos preços do petróleo e em como conter o avanço do coronavírus. De acordo com um comunicado emitido pela Casa Branca, Trump aproveitou a oportunidade para reiterar que a situação da Venezuela é grave.

“Todos (no mundo) têm interesse em ver uma transição democrática que ponha fim à crise atual”, disse o chefe de governo dos EUA a Putin.

A conversa aconteceu dois dias depois que a Rosneft, maior petrolífera russa e até agora aliada fiel do Chavismo e da estatal venezuelana PDVSA, anunciar a venda dos ativos e o fim das operações no país.

“Isto terá claramente um grande impacto no regime (do governante venezuelano Nicolas Maduro)”, declarou um funcionário do alto escalão do governo americano em entrevista coletiva por teleconferência a um pequeno grupo de veículos de comunicação, incluindo a Agência Efe.

A fonte não quis esclarecer se Trump e Putin falaram em sua chamada sobre o anúncio de Rosneft, que não explicou as razões de sua decisão, mas disse que é algo em que os EUA estão “vigiando de perto” e vão olhar para “os detalhes” dessa cessação das operações.

“Qualquer outra entidade russa que ajude o regime de Maduro a traficar petróleo estará sujeita às sanções dos EUA”, advertiu o oficial.

Em uma tentativa de asfixiar economicamente o governo de Maduro, os Estados Unidos sancionaram a PDVSA, a principal fonte de divisas da Venezuela, há mais de um ano, e desde então tem pressionado e ameaçado com punições os países e empresas de todo o mundo para parar seus negócios petrolíferos com Caracas. Os últimos alvos foram empresas mexicanas, como a Libre Abordo.

No telefonema, Trump também enfatizou para Putin a importância da estabilidade nos mercados globais de energia. O presidente dos EUA disse algumas horas antes, durante uma entrevista à emissora “Fox News”, que planejava falar com Putin sobre a falta de acordo entre a Arábia Saudita e a Rússia para reduzir a produção de petróleo, o que acentuou a queda nos preços.

“Nunca pensei dizer que talvez tivéssemos de aumentar o (preço do) petróleo, mas temos de fazer isso. O preço está muito baixo”, comentou Trump.

De acordo com a declaração do Kremlin, Trump e Putin chegaram a um acordo para que seus respectivos ministros de energia realizem consultas sobre o preço do petróleo.

 
Matérias Relacionadas