“Toureiro” adolescente é chifrado e morre em festival na Espanha

Gonzalez foi ferido na virilha por um touro e perdeu a consciência antes de ser levado para o hospital

Por Simon Veazey

Um adolescente morreu depois de ser ferido por um touro durante um festival de primavera na Espanha.

Fran González, de 19 anos, foi a segunda pessoa morta por um touro durante vários dias de festivais tradicionais, que freqüentemente apresentam corridas de touro e touradas de várias tradições.

Gonzalez foi ferido na virilha por um touro em 1 de maio, e perdeu a consciência em cena, antes de ser levado para o hospital, onde foi declarado morto pouco tempo depois.

Gonzalez era um participante regular em um estilo não-violento de exposições de touradas, às vezes descrito como “bull leaping”, relatou o Levante.

De acordo com El Espanol, o touro trespassou González momentos após ter sido liberado de sua baia, quando saltou violentamente e agressivamente para a arena, “procurando por problemas”.

Os organizadores do festival de San Vicente Ferrer suspenderam temporariamente as festividades como sinal de respeito.

Gonzalez já havia ganhado reputação localmente como um recortador, um tipo de toureiro que, ao contrário do matador, enfrenta o touro sem uma capa ou arma numa demonstração de atletismo e bravata.

Recortadores competem para ganhar pontos por ousadia e habilidade enquanto executam movimentos acrobáticos para se esquivar do animal, que é permitido retornar à baia ileso.

A recortador
Um “recortador” salta sobre um touro durante uma tourada na praça de touros Plaza Monumental, em Barcelona, no dia 25 de setembro de 2009 (Lluis GeneAFP / Getty Images)

Na semana passada, um homem de 74 anos morreu após ser atingido por um touro durante um festival em Vejer de la Frontera, perto de Cádis, no sudoeste da Espanha.

Lesões durante as festividades espanholas em corridas de touros são bastante comuns, quando o público testa suas proezas atléticas, reações e coragem contra vários touros liberados em ruas estreitas.

bull running
Participantes correm ao lado de um touro no terceiro dia do festival de touradas de San Fermin, em Pamplona, no norte da Espanha, em 9 de julho de 2018.(Jose Jordan / AFP / Getty Images)

Nas tradições de touradas que colocam um touro contra um matador e seus companheiros, armados com capas vermelhas, lanças e espadas, os ferimentos são bastante comuns, mas as mortes são raras.

Por 30 anos, nem um único toureiro espanhol foi morto no ringue, até que Victor Barrio, de 29 anos – ao vivo na televisão nacional – foi pego no peito pelos chifres de um touro em 2016.

Em 2013, 31 matadores foram feridos em touradas na Espanha em um ano, de acordo com o The Telegraph.

Em janeiro passado, um homem colombiano foi ferido durante um dos eventos “corralejas” da Colômbia, que apresenta touradas. No evento, os competidores atraem o animal com capas vermelhas antes de tentar escapar do touro.

Jorge Barrios, um trabalhador da construção civil, não conseguiu sair do caminho e foi espetado pelo chifre do touro. Algumas pessoas disseram que ele poderia estar bêbado quando tentou competir, de acordo com o Metro.

Segundo a Humane Society International, um grupo de defesa dos direitos dos animais, as touradas estão desatualizadas.

“As touradas não são ‘lutas justas’ entre um touro e um matador, mas formas altamente encenadas de crueldade contra animais, sancionadas e subsidiadas pelos governos. Esses espetáculos ultrapassados perpetuam a idéia de que ferir e matar um animal por diversão é aceitável ”, afirma o site do grupo.

“Os eventos ainda acontecem na Espanha, França, Portugal, Colômbia, Venezuela, Peru, Equador e México”, diz.

 
Matérias Relacionadas