Tebet propõe quarentena para proteger agências reguladoras de lobistas

Ideia é impor quarentena de 12 meses a pretendentes de cargo de direção

Por Diário do Poder

Projeto da senadora Simone Tebet (MDB-MS) tenta blindar as agências reguladoras do domínio cada vez maior pelas empresas reguladas. A proposta limita a indicação de acionistas, sócios ou dirigentes de empresas privadas na diretoria das agências. Já seria um começo. Na ANS (planos de saúde), um dirigente é egresso de um escritório de lobby das empresas do setor. Na Aneel (energia elétrica), a Polícia Federal investiga benefícios que teriam sido comprados por empresas. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

A ideia de Tebet é impor quarentena de 12 meses ao pretendente de cargo de direção, após seu desligamento da empresa onde atuava.

Essa tentativa de proteção à sociedade foi vetada na Lei Geral das agências reguladoras, em vigor desde o ano passado.

“Temos de acabar com a possibilidade de lobby”, diz Tebet, de olho em agências que beneficiam empresas em prejuízo dos consumidores.

 
Matérias Relacionadas