Publicado em - Atualizado em 17/01/2015 às 18:09

Taizong, da Dinastia Tang, o mais reverenciado imperador na China

Dinastia Tang, um período auge para o povo chinês.

Dinastia Tang, um período auge para o povo chinês (Internet)

Li Shimin (599-649 d.C.), o segundo governante da Dinastia Tang, conhecido como Imperador Taizong, foi reverenciado na China, Coreia, Japão e regiões vizinhas por mais de um milênio.

Seu reinado de 23 anos levou a China ao apogeu político, econômico e cultural, um período de paz e prosperidade conhecido na história chinesa como o Reinado de Ouro. O imperador é lembrado como um governante de grande empatia com seu povo, um líder forte e decidido, que sabia ouvir e responder positivamente a críticas, mesmo às mais ousadas e ásperas, de seus conselheiros, assessores ou quem quer que fosse. Inicialmente um confucionista de elevados valores morais, Taizong apoiou significativamente a propagação do Budismo na China.

Certa ocasião, alguns ministros aconselharam Taizong a impor leis duras para impedir roubos, no entanto, o Taizong disse: “Roubar sem pudor tem bastante a ver com pesados impostos, servidão compulsória, corrupção no governo e condições de vida precárias. Se reduzirmos nossos gastos como governantes e reduzirmos os impostos, se selecionarmos funcionários que são justos e honestos e, se melhorarmos as condições de vida do povo, então, quem desejará ser um ladrão?” Poucos anos depois, a Dinastia Tang entrou numa era de paz e prosperidade. Diz-se que as pessoas não se apropriavam de pertences perdidos por outros na rua e, à noite, as pessoas nem sequer trancavam as portas e podiam andar sem se preocupar com assaltos. O exemplo vindo de cima inspirou retidão no povo.

O imperador Taizong disse a seus oficiais: “A verdadeira ameaça a uma nação vem de dentro e da própria administração de um governante. Um imperador deve todos os dias refletir sobre sua conduta e modo de governo. Se um imperador viver de forma extravagante, os impostos terão de subir e as pessoas sofrerão e se ressentirão. Por fim, o imperador não será capaz de sustentar sua posição. Eu não me entrego a desejos por causa disso. […] Muitos acreditam que o poder de um imperador é ilimitado porque ele está acima de todos, mas eu não acredito nisso. Eu temo os Céus e o julgamento Divino. Eu temo violar os arranjos dos Céus e frustrar as expectativas de meu povo. […] Um de meus conselheiros me disse que as pessoas são como as águas e o imperador como um barco. O barco pode flutuar com facilidade ou ser engolido dependendo da felicidade do povo”.

Os princípios seguidos pelo imperador Taizong eram basicamente:

1. Um imperador deve considerar seu povo em primeiro lugar;
2. Implementar leis simples e tolerantes, e promover o cultivo da virtude;
3. Sem gastos com luxo pelo governo ou pelo imperador;
4. Impostos leves, incentivar o crescimento e fortalecer a economia;
5. Nomear funcionários justos e disciplinados;
6. Ouvir e responder positivamente a conselhos e críticas e sempre refletir sobre o próprio comportamento.

Sob o reinado de Taizong, a China adquiriu maturidade em todos os aspectos – cultura, educação, economia, agricultura, artesanato, comércio, transporte, etc. -, e liderou o Extremo Oriente como em nenhum outro período de seu passado. A poesia e a prosa Tang prosperaram, e o renascimento de tradições ancestrais também levaram a literatura e as artes chinesas a seu auge. Como resultado, a palavra “tang” tornou-se sinônimo de China e os chineses também foram chamados de “povo tang” por seus vizinhos.

Historiadores chineses descrevem o reinado virtuoso de Li Shimin como uma lua brilhante, o que implica dizer que ele sempre será um exemplo a iluminar até mesmo as noites mais escuras ao longo da história chinesa.

Li Shimin (599-649 d.C.), também conhecido como Imperador Taizong.

Li Shimin (599-649 d.C.), também conhecido como Imperador Taizong (Internet)

Todo conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito ao Epoch Times em Português e para o repórter da matéria.
Leia a diferença. Epoch Times Todos os direitos reservados © 2000-2016