Substância parecida com droga desencadeia excesso de consumo

Níveis extracelulares de encefalina surgiram quando ratos começaram a comer chocolate M&Ms (Current Biology, DiFeliceantonio et al, 2012)

Da próxima vez que você achar que é difícil resistir a outra mordida de chocolate, você pode estar interessado em saber o que está acontecendo dentro de sua mente.

Nova pesquisa nos EUA demonstrou que a compulsão de comer em excesso está ligada a uma substância química parecida com o ópio, chamada encefalina, produzida naturalmente dentro de uma parte do cérebro, que pode ser um dos causadores da compulsão alimentar e dependência de drogas.

“Isso significa que o cérebro tem sistemas mais abrangentes do que se pensava  para fazer as pessoas quererem consumir mais do que precisam”, disse a co-autora Alexandra DiFeliceantonio da Universidade de Michigan, Ann Arbor, num comunicado de imprensa. “Pode ser uma razão pela qual o consumo excessivo é um problema hoje.”

Os pesquisadores estudaram o efeito de estimular essa parte do cérebro em ratos e descobriram que estes animais comeram mais do que o dobro do chocolate M&Ms do que o normal. Da mesma forma, houve um aumento do nível de encefalina produzida por aquela parte do cérebro quando os ratos começaram a comer os doces.

O neostriatum era previamente associado ao movimento, mas os produtos químicos produzidos aqui aumentam o desejo de guloseimas, como o chocolate.

“A área do cérebro que testamos neste estudo é ativada quando as pessoas obesas veem alimentos e quando viciados veem cenas de drogas”, disse DiFeliceantonio.

“Parece provável que os nossos achados de encefalina em ratos significa que esse neurotransmissor pode dirigir algumas formas de consumo excessivo e dependência nas pessoas.”

Os resultados foram publicados na revista ‘Current Biology’ em 20 de setembro.

Epoch Times publica em 35 países em 19 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas