O significado da dança para Confúcio

O significado da dança para Confúcio

Shen Yun revive 5 mil anos de cultura tradicional chinesa, uma cultura gloriosa e divina (Shen Yun / Reprodução)

2017/06/21

Cansado pelo excesso de trabalho, um escultor faz um pequeno intervalo para descansar e sonha com uma cena incrível. As estátuas de Buda que esteve esculpindo ganham vida e o inspiram a realizações mais grandiosas. A representação do balé “Um sonho de Dunhuang” é um exemplo de como o entendimento espiritual influência o que fazemos em nossas vidas.

As artes dão sentido à vida das pessoas. Numa escala maior, as artes, principalmente a música e a dança, podem influenciar fortemente o comportamento de toda uma sociedade. Confúcio observou, há mais de 2.500 anos, que essas formas de arte refletem os valores sociais: “Não há nada mais efetivo do que a música para melhorar os hábitos e os costumes existentes” disse Confúcio em Yue Ji (Notas sobre a Música). Ele acrescenta “Alguém conhece os princípios de uma pessoa ao vê-la dançar.”

O Shen Yun Performing Arts apresenta à audiência de todo o mundo as histórias das dinastias chinesas ancestrais. “Mulan”, “A lealdade de Yue Fei”, e “Um sonho de Dunhuang” são algumas dessas e encantam o público com seus relatos e suas lições morais. Não era raro ver lágrimas durante as representações. Essas peças de dança demonstram a elegante beleza e o rico conteúdo espiritual da China ancestral, normalmente chamada A Terra do Divino.

Usualmente, as palavras não podem expressar a arte da dança chinesa. O Shen Yun proporciona à audiência um entendimento da amplitude e profundidade da autêntica cultura chinesa de 5 mil anos, a qual tem sido destruída pelo Partido Comunista Chinês desde 1949. Cada dança apresentada aos espectadores traz uma grande diversidade de figuras históricas, mitos e lendas, jóias espirituais da cultura chinesa perdidas há muito tempo.

A emissora NTD também tem promovido a cultura tradicional chinesa através de competições, como a “Competição Internacional de Dança Clássica Chinesa“. Essa competição tem como objetivo promover a arte da dança tradicional chinesa. Os dançarinos são avaliados pelo modo como expressam pureza, amabilidade e beleza, e em como proporcionam realce a danças tradicionais chineses. Com a intenção de promover o intercâmbio cultural mundial, essa competição apresenta ao mundo um tesouro cultural e espiritual inestimável.

Cinco mil anos de cultura chinesa proporcionam infinita inspiração para a dança chinesa. Uma grande variedade de personagens ganha vida através do Shen Yun – homens, mulheres, jovens, anciões… pessoas de todas as esferas. Esse rico material dá vida a incríveis figuras históricas como ao leal e compassivo Yue Fei com sua desinteressada e obediente mãe, a modesta e valente Mulan, o monge tolerante, o piedoso e trabalhador escultor de Dunhuang, agradáveis crianças, damas celestiais, deuses e budas grandiosos e sagrados.

Cada cena forma um todo com o movimento e a postura, em conjunção com a música, os cenários, a iluminação e os fundos. Com a troca e a movimentação de cada cena, a linguagem da dança conta, natural e suavemente, a sua história. Enquanto se deleitam com a beleza das danças, os espectadores podem reconhecer os personagens descritos e compreender o significado das histórias, através das elegantes posturas dos dançarinos e o desenvolvimento dos relatos.

Incentivar a dança pura, alegre e que eleva o ânimo, desempenha, inevitavelmente, um papel na elevação da moral das pessoas e na correção da conduta sociais.

A dança chinesa engloba um conteúdo muito amplo e profundo. As danças remontam a cinco mil anos de história da China, muitas dinastias, raças, folclore, figuras históricas, mitos e lendas. A dança chinesa também expressa um caráter moral, compaixão, lealdade, decoro, sabedoria, confiança, e devoção filial.

Ao apreciar as artes cênicas pelo seu valor artístico, as pessoas também podem entender as ricas conotações da cultura chinesa, transmitida de forma divina.

Para os mesmos dançarinos, a pureza e retidão da dança chinesa impulsionam a elevação de corpo e mente. A dança chinesa põe ênfase nos “gestos corporais” e nas “conotações gestuais”, e expressa o espírito fundamental da cultura divina chinesa, que consiste em unir expressão e alma. O espírito de alguém dirige o movimento e os movimentos comunicam a alma do dançarino.

Os dançarinos realizam um rigoroso treinamento físico, iniciando-se geralmente na Fei Tian Academy of the Arts, uma escola preparatória bilingue (inglês / chinês) comprometida com a excelência acadêmica e artística. Os movimentos não apenas necessitam ser seguros e precisos, também devem ser sutis e capazes de comunicar a alma. É como dizer, “cada ação e cada movimento deve ser definido exatamente e cada movimento do olhar deve seguir regras previamente estabelecidas”. Todos os movimentos estão inter-relacionados, de forma que quando se move uma parte, todo o corpo se move. Qualquer movimento de mãos, olhos ou pés, deve seguir o movimento de todo o corpo.

Isso requer que os dançarinos não apenas tenham um bom cultivo mental, mas que também sejam capazes de deixar que o espírito guie os movimentos para controlar, com precisão, cada parte do corpo. Os dançarinos não apenas necessitam dominar solidamente os princípios básicos da dança chinesa, mas também devem ter uma forte vontade como base fundamental. Ao aperfeiçoar o seu corpo físico e habilidades de dança, os dançarinos também necessitam aperfeiçoar seu caráter moral e força de vontade.

Confúcio assinalou que “A música é uma sublimação da moralidade”. Pela sua proximidade com a música, a dança também pode afetar o código moral de uma pessoa. Os dançarinos mesmos devem agregar e cultivar uma moralidade e caráter mais elevado.

A dança chinesa apresentada pelo Shen Yun possuí qualidades únicas como: pureza, retidão e elegância, que coloca a cultura divina da China no cenário central do mundo, criando uma nova tendência artística que é a base para restabelecer uma cultura humana regada de pureza, compaixão e beleza.