Publicado em - Atualizado em 07/12/2017 às 0:39

Senado dos EUA aprova lei de reforma fiscal

Senado passa projeto de lei com voto de 51 a 49

EUA, Trump, reforma fiscal - O líder da maioria do Senado, Mitch McConnell (R-KY), sinaliza enquanto ele e sua diretora de operações Stephanie Muchow se dirigem para o Senado no Capitólio dos EUA em Washington, D.C., em 1º de dezembro de 2017 (Chip Somodevilla/Getty Images)

O líder da maioria do Senado, Mitch McConnell (R-KY), sinaliza enquanto ele e sua diretora de operações Stephanie Muchow se dirigem para o Senado no Capitólio dos EUA em Washington, D.C., em 1º de dezembro de 2017 (Chip Somodevilla/Getty Images)

O Senado dos EUA aprovou um projeto de lei fiscal, um marco significativo para os republicanos conseguirem a aprovação final para uma ampla e necessária reforma tributária. O Senado estadunidense, atualmente controlado pelos republicanos, aprovou a Lei Trabalhista e de Corte de Impostos por um voto de 51 a 49 no início do sábado, 2 de dezembro.

O senador Bob Corker, do Tennessee, foi o único republicano que votou contra o projeto de lei, citando preocupações sobre as adições potenciais da lei fiscal ao déficit orçamentário.

A reforma tributária ganhou impulso depois que subgrupos e elementos resistentes entre os republicanos ofereceram seu apoio um após o outro. O senador John McCain (R-Ariz.) anunciou seu apoio em 30 de novembro. Outros oponentes, os senadores Jeff Flake (R-Ariz.), Ron Johnson (R-Wis.) e Steve Daines (R-Mont.) também pularam a bordo poucas horas antes da votação, dando aos republicanos um suspiro de alívio.

Todos os democratas votaram contra o projeto de lei, argumentando que os cortes de impostos beneficiam os ricos em detrimento da classe média e que isso aumentará o déficit orçamentário nos próximos 10 anos.

A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou a seu projeto de lei fiscal em 16 de novembro, o que diverge do plano do Senado. Na próxima etapa, o Senado e a Câmara trabalharão juntos para elaborar um único projeto de lei.

Os líderes republicanos da Câmara agendaram uma votação para o dia 4 de dezembro para participar de uma conferência com o Senado sobre a lei tributária. Para que a reforma fiscal se torne lei, ambas as casas têm de aprovar a mesma legislação e enviá-la ao presidente.

Os republicanos têm um calendário ambicioso para transformar o projeto em lei até o final do ano. Se conseguirem, será a primeira grande reforma tributária desde 1986.

“A maior lei fiscal e de cortes de impostos na história acabou de passar no Senado. Agora, esses grandes republicanos irão para a fase final”, escreveu o presidente estadunidense Donald Trump numa mensagem de Twitter em 2 de dezembro.

“Obrigado aos republicanos da Câmara e do Senado pelo seu trabalho e empenho!”, escreveu Trump.

Trump está confiante de que as casas resolverão suas diferenças e passarão a reforma fiscal como um presente de Natal para os norte-americanos.

Para saber maiores detalhes sobre o projeto fiscal aprovado pelo Senado dos EUA, veja aqui.

Todo conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito ao Epoch Times em Português e para o repórter da matéria.
Leia a diferença. Epoch Times Todos os direitos reservados © 2000-2016