Segunda onda de surto de vírus se espalha ainda mais no sul da China

Por Nicole Hao

Um distrito da cidade de Guangzhou, no sul da China, anunciou mais de dez portadores assintomáticos do vírus do PCC nos últimos dias.

Uma província e uma cidade vizinha de Shenzhen também relatou novas infecções entre as pessoas que vieram de Guangzhou, indicando que a segunda onda do surto se espalhou ainda mais no sul da China.

No final de abril, mais de cem novas infecções foram relatadas em Guangzhou, além de dezenas entre estudantes e professores em Shenzhen.

Enquanto isso, moradores da província de Heilongjiang, no nordeste da China, disseram ao Epoch Times que mais cidades na província possuem surtos. As autoridades anunciaram apenas recentemente novas infecções nas cidades de Harbin e Mudanjiang.

Em Wuhan – a cidade central da China onde o vírus do PCC (Partido Comunista Chinês), comumente conhecido como novo coronavírus, eclodiu – os moradores não puderam aproveitar o fim de semana de cinco dias do Dia do Trabalho. Vídeos de mídia social mostraram longas filas na frente de hospitais. Para visitar outra cidade, os residentes de Wuhan devem testar negativo para 0 vírus em um tesde de ácido nucleico antes de viajar.

Veja também:

Guangzhou

Em 3 de maio, a Comissão Municipal de Saúde de Guangzhou anunciou uma nova portadora assintomática no distrito de Zengcheng. Esta é a décima infecção oficialmente registrada no distrito. Outros distritos da movimentada metrópole registraram novos surtos em abril.

A comissão alegou anteriormente que a primeira infecção da segunda onda do surto de Zengcheng foi diagnosticada em 26 de abril.

Em 27 de abril, a comissão anunciou que um dos portadores assintomáticos recém-diagnosticados era uma mulher de 24 anos da cidade de Xintang, em Zengcheng.

Ela recebeu um teste de ácido nucleico na filial de Zengcheng do Hospital Nanfang e recebeu um resultado positivo, embora as autoridades não tenham explicado por que a mulher foi ao hospital apesar dos sintomas.

Em 28 de abril, a comissão anunciou sete outros portadores assintomáticos. Cinco deles são membros da família da jovem. Um outro era seu colega.

Mais tarde, a comissão anunciou mais portadores assintomáticos da cidade de Xintang nos dias 1 e 2 de maio. A comissão observou que os indivíduos eram contatos próximos de pessoas diagnosticadas anteriormente, mas não especificou quem.

Os estudantes aguardam na fila para receber o teste de ácido nucleico para o vírus do PCC em uma escola de ensino médio em Guangzhou, China, em 21 de abril de 2020 (STR / AFP via Getty Images)
Os estudantes aguardam na fila para receber o teste de ácido nucleico para o vírus do PCC em uma escola de ensino médio em Guangzhou, China, em 21 de abril de 2020 (STR / AFP via Getty Images)

Mas dados de regiões próximas indicaram que o surto em Zengcheng pode ter ocorrido antes desses dez casos.

O governo da cidade de Shenzhen anunciou um paciente diagnosticado em 29 de abril, um homem de 29 anos que chegou a Zengcheng no distrito de Shenzhen, Bao’an, em 22 de abril. Ele começou a desenvolver sintomas na noite de 24 de abril e sua condição deteriorou-se rapidamente.

Em 26 de abril, o homem foi ao Hospital Popular de Bao’an e testou positivo para após realizar um teste de ácido nucleico. Dois dias depois, ele foi oficialmente diagnosticado. As autoridades locais atualmente especificam vários critérios (não apenas o teste de ácido nucleico) antes que um paciente seja oficialmente diagnosticado como positivo para COVID-19.

A província de Guangxi também anunciou um novo caso relacionado a Zengcheng. Xu Wanjie e sua esposa visitaram Zengcheng e ficaram no hotel de 12 a 26 de abril. Depois de voltar para casa na província de Guangxi, eles compareceram a uma recepção funerária em larga escala com pelo menos 35 famílias e visitaram várias áreas, como a polícia de Guangzhou os chamou em 28 de abril.

A polícia informou que alguns hóspedes que ficaram no mesmo hotel foram diagnosticados com o vírus. O casal e centenas de seus contatos próximos agora devem estar em quarentena.

Embora a polícia de Guangzhou tenha discutido casos diagnosticados em Zengcheng, as autoridades não anunciaram oficialmente nenhum paciente diagnosticado com sintomas em Zengcheng durante esse período.

As autoridades de Guangzhou são conhecidas por relatar dados inconsistentes.

Motoristas de táxi fazem fila para receber testes de ácido nucleico para o vírus do PCC em Guangzhou, China, em 20 de abril de 2020 (STR / AFP via Getty Images)
Motoristas de táxi fazem fila para receber testes de ácido nucleico para o vírus do PCC em Guangzhou, China, em 20 de abril de 2020 (STR / AFP via Getty Images)

Heilongjiang

Na província de Heilongjiang, no nordeste da China, dados oficiais não mostram novas infecções na cidade de Jiamusi. No entanto, as pessoas descreveu uma situação diferente no local.

Zhang vive no bairro de Zhixing, no distrito de Xiangyang, Jiamusi. Ela disse em 4 de maio: “[As autoridades] estão construindo muros para isolar todos os edifícios do bairro”. Ela acrescentou que alguns complexos residenciais no distrito de Qianjin também foram fechados.

Veja também:

 

Zhang reclamou que as autoridades do governo local não explicaram se houve novos casos diagnosticados ou portadores assintomáticos, mas os residentes devem medir sua temperatura corporal e escanear o aplicativo de código de saúde antes de entrar ou sair de seu complexo.

Li, outro morador de Jiamusi, disse ao Epoch Times: “O pessoal de segurança nos postos de controle em nosso complexo residencial nos disse para ficar em casa porque o surto é muito grave. Alguns hotéis estão sendo usados ​​como centros de quarentena”.

Em 29 de abril, o governo de Jiamusi ordenou que a cidade “tomasse medidas extraordinárias para garantir que não haja infecções nos hospitais”, sem fornecer mais detalhes.

Uma equipe médica trabalha nos testes de ácido nucleico como parte das medidas de pandemia do vírus do PCC, em um centro de serviços de saúde em Suifenhe, província de Heilongjiang, nordeste da China, em 24 de abril de 2020 ( STR / AFP via Getty Images)
Uma equipe médica trabalha nos testes de ácido nucleico como parte das medidas de pandemia do vírus do PCC, em um centro de serviços de saúde em Suifenhe, província de Heilongjiang, nordeste da China, em 24 de abril de 2020 ( STR / AFP via Getty Images)

Dentro da província, sua capital, Harbin, também está passando por uma segunda onda do surto. As autoridades admitiram surtos de conglomerados em dois grandes hospitais da cidade e em bairros do distrito de Daowai.

Mudanjiang, que faz fronteira com a Rússia, também registrou surtos em hospitais e iniciou medidas rigorosas para conter a propagação do vírus, segundo documentos vazados obtidos pelo Epoch Times.

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

O Método do PCC

 

 
Matérias Relacionadas