Saiba por que você nunca ouviu falar da medicina coreana

Enquanto a Coréia do Sul está se tornando conhecida por seus cosméticos, kimchee  e K-pop, quase ninguém ouviu falar de sua medicina.

De acordo com o acupunturista James Shinol, que recentemente foi à Coréia para aprender sobre sua medicina, isto acontece porque, em comparação com o número de médicos da medicina chinesa que já emigraram de sua terra natal, o número de emigrantes da medicina coreana tem sido muito pequeno.

Agora, no entanto, em sua opinião, a medicina coreana está começando a se desenvolver à sua própria maneira. Logo, nós, que estamos no ocidente, estamos começando a notar mais sua presença.

Shinol, que é chefe de departamento da Graduate School of Oriental Medicine, da New York College of Health Professions (Escola Superior de Saúde de Nova York), e  ex-presidente imediato da Acupuncture Society of New York (Sociedade de Acupuntura de Nova York), é um dos primeiros americanos convidados pela Coreia do Sul para participar de um workshop  de 10 dias em medicina coreana. O calendário intensivo de palestras e experiências de campo deu-lhe uma melhor compreensão dos métodos distintos da medicina coreana.

Ele compartilhou algumas das coisas que ele aprendeu com Epoch Times.

Epoch Times: Então, o que é a medicina coreana?

James Shinol: a medicina coreana é uma medicina tradicional do leste asiático, … ela usa acupuntura, fitoterapia  e várias outras modalidades como as principais ferramentas para promover a saúde e tratar doenças. A medicina coreana compartilha cerca de 80 por cento da teoria, pontos  e técnicas com a medicina chinesa e a Kampo [medicina japonesa].

Epoch Times: A medicina coreana compartilha da idéia de que a mente e o corpo têm de ser equilibrados?

James Shinol: A medicina coreana também enfatiza a importância do equilíbrio entre a mente e o corpo, especialmente no controle da emoção e da mente, que são os requisitos fundamentais para a saúde plena. Estar com um desequilíbrio emocional, como em caso de stress, preocupação, ansiedade, depressão e incapacidade de manter um estado emocional calmo, poderia levar à desarmonia do qi [energia vital] e poderia ainda levar a sintomas ou a doenças no corpo. Portanto, é importante manter uma mente calma ou um estado emocional equilibrado.

Leia também: 
• Coreia do Sul celebra aniversário do Buda com famosa parada (fotos)
• Novo coronavírus mata 10 e deixa 126 infectados na Coreia do Sul
• Medicina chinesa é ótima alternativa para tratar doenças intestinais

Epoch Times: O que distingue a medicina coreana da medicina chinesa?

James Shinol: A maior diferença é a abordagem constitucional. A administração de ervas e acupuntura nos tratamentos da medicina coreana são baseados na constituição [tipo de corpo] de cada pessoa [em vez de se basear nas características geológicas, clima e hábitos de vida, como na medicina chinesa]. Também há diferenças na dosagem e nas prescrições de ervas. A medicina chinesa utiliza um pouco a mais, a medicina Kampo utiliza um pouco a menos, e a medicina coreana está justamente no meio.

Epoch Times: Quais técnicas são iguais ou semelhantes as da medicina chinesa?

James Shinol: A medicina coreana é semelhante à medicina chinesa no uso do diagnóstico pelo pulso e de outros métodos [de diagnóstico] diferenciais, tais como inspeção facial e lingual, e a extensa anamnese antes de diagnosticar. Ela também usa a acupuntura,  a moxabustão [aquece-se certos pontos do organismo através do uso erva artemísia para facilitar a cura], as ventosas e ervas como métodos de tratamento.

Epoch Times: Como a acupuntura coreana difere da acupuntura chinesa?

James Shinol: Em contraste com a prescrição de pontos da medicina chinesa, que tradicionalmente envolve a marcação de pontos em todo o corpo (peito, costas, e tronco), os estilos de acupuntura coreana Taegeuk e Saam, são usados para tratar doenças (como dor músculo-esquelética e neuropatia autonômica) com pontos nas extremidades …

A acupuntura coreana [aplicada] na mão, um estilo exclusivo da acupuntura coreana, é realizada sob a teoria de que um microssistema [do corpo] é encontrado nas mãos. Em um microssistema, todo o corpo é refletido em apenas uma área, como na orelha, na mão, ou no couro cabeludo. As condições do corpo, onde quer que estejam, seja da cabeça aos pés, podem ser tratadas com o uso de pontos em um microssistema. Para a medicina coreana, o microssistema do corpo é frequentemente encontrado na mão.

Epoch Times: Existe alguma área em que a medicina coreana seja especializada?

James Shinol: A medicina coreana é eficaz no tratamento de doenças em inúmeras áreas, incluindo sistema respiratório, digestivo, manejo da dor, dermatologia, pediatria, ginecologia, psiquiatria, e muitos mais.

Epoch Times: A medicina chinesa foi muito mudada na era maoísta. Teria este fato causado algum impacto na medicina coreana?

James Shinol: Ao longo da era maoísta, a teoria da medicina chinesa, mecanicamente, mudou um pouco o seu foco devido à modernização da China, baseada no materialismo. O melhor exemplo da mudança (mecânica) é encontrado no sistema de [diagnóstico] diferencial (métodos para diagnosticar a raiz dos desequilíbrios na mente, no corpo e no espírito).

Depois da revolução comunista, os aspectos mais místicos e intangíveis da medicina chinesa foram despojados, durante e após a liderança de Mao, levando a medicina chinesa a se tornar mais rígida e mecânica em sua abordagem, para se assemelhar a biomedicina. Eles instituiram a idéia ocidental de que um sintoma exige um exame, um diagnóstico, e, consequentemente, um protocolo de tratamento específico. Esta é uma ideia muito mecanicista e diz respeito principalmente ao que está acontecendo dentro do indivíduo, ao contrário [da visão genuina da medicina tradicional chinesa que é] como esse indivíduo se relaciona com o mundo e, essencialmente, com o universo/cosmos. A moderna medicina chinesa não tem a teoria que leva os praticantes a cultivarem certas forças dentro de si, para que possam ser dadas ao paciente.

A medicina coreana foi influenciada pela medicina tradicional chinesa e utiliza o sistema [do diagnóstico] diferencial; na prática, no entanto, a medicina coreana é menos mecânica do que a medicina chinesa. A medicina coreana adere à teoria e ao conhecimento clássicos, mas também utiliza ferramentas clínicas modernas em sua prática, incluindo diagnósticos faciais computadorizados, máquinas de [leitura do] pulso, e um software sofisticado para interpretar o paciente.

Epoch Times: Como a medicina coreana tem se integrado com a medicina ocidental?

James Shinol: Em 2011, a lei na Coréia foi alterada de modo que os hospitais de medicina ocidental puderam abrir departamentos de medicina tradicional coreana e contratar médicos da medicina coreana e vice-versa; os hospitais de medicina coreana também puderam abrir departamentos de medicina ocidental e contratar os respectivos médicos. Portanto, a consulta integrativa está em ascensão.

 
Matérias Relacionadas