Réveillon do Rio tem espetáculo de luzes e cores no céu de Copacabana

RIO DE JANEIRO—Mais de dois milhões de pessoas comemoraram a chegada do Ano-Novo assistindo ao espetáculo pirotécnico no céu da orla de Copacabana. À meia-noite em ponto de 1º de janeiro de 2015, rolhas de espumante pipocaram enquanto 24 toneladas de fogos de artifício estouravam durante 17 minutos colorindo e preenchendo a paisagem em meio a gritos, abraços, piadas, promessas e contemplação.

Foram lançadas 34 mil bombas no total a partir de 11 balsas. Antes dos lançamentos, fogos formaram as palavras “Rio 450” a partir das balsas 5 e 6 nos segundos 4 e 2 da contagem regressiva, em homenagem aos 450 anos da cidade do Rio de Janeiro.

Do palco principal da Praia de Copacabana, o cantor Seu Jorge e o Grêmio Recreativo Escola de Samba Unidos da Tijuca embalaram a multidão logo após a queima de fogos. Moradores dos prédios vizinhos ao palco assistiram ao show de “camarote”.

Longe da aglomeração, famílias também aproveitam a noite reunidas na parte de trás do palco principal da Praia de Copacabana, um pouco mais vazia. Carrinhos de cachorro-quente “fizeram a festa” e a alegria recíproca dos clientes. No início da noite, também no palco principal, a banda Detonautas aqueceu o público, que já lotava a praia desde cedo.

Também houveram sustos. Na Praia do Leme, ocorreu um incêndio na quarta balsa durante a queima de fogos e as chamas tiveram que ser controladas por uma lancha da Capitania dos Portos, de acordo com a assessoria do evento. Em entrevista coletiva, o secretário de Turismo, Antônio Pedro Figueiredo, informou que, apesar de os lançamentos serem automatizados, havia funcionários da empresa Pirotecnia Igual Brasil dentro da balsa, mas que ninguém saiu ferido. É a quinta vez que a empresa atua no Réveillon do Rio.

O secretário também confirmou a ocorrência de alguns arrastões em pontos isolados da orla de Copacabana, apesar do forte policiamento. “Essa questão da segurança é sempre com a Polícia Militar. Estamos com um efetivo maior esse ano. Ouvi falar que em alguns pontos houve problemas. Mas nenhum problema maior”, disse. A polícia militar efetuou prisões em flagrante nas areias de Copacabana por roubo de celulares e documentos.

Até a meia-noite do dia 1º de janeiro de 2015, 382 pessoas já haviam sido atendidas nos cinco postos médicos montados na orla de Copacabana pela Secretaria Municipal de Saúde. A maioria por excesso de bebidas alcoólicas, cortes, dor de cabeça, mal estar e crianças com sintomas de insolação. No total, 13 pessoas haviam sido internadas.

O fluxo de pessoas nas estações Siqueira Campos, Cantagalo, Ipanema/General Osório e Cardeal Arcoverde foi intenso porém tranquilo na ida e na volta para casa. O embarque somente podia ser feito com os cartões especiais (roxo e azul) da Operação Réveillon do MetrôRio.

Na Baixada Fluminense, milhares comemoram no Estação Rio embalados pela cantora Preta Gil.

 
Matérias Relacionadas