Reunidos na Coreia do Norte, Kim agradece a Moon pelo histórico encontro com EUA (vídeo)

Moon é o primeiro chefe de Estado estrangeiro a realizar um encontro com o líder do Norte em Pyongyang e o primeiro hóspede estrangeiro a quem o líder do Norte saudou no aeroporto

Por Epoch Times

O presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, chegou ontem (18) à Coreia do Norte para se reunir com o líder do regime comunista, Kim Jong-un, em um encontro de três dias no qual será tratado o tema da desnuclearização.

Moon foi recebido com uma colorida demonstração de boas vindas de milhares de pessoas segurando buquês e gritando “Unificação” durante a passagem da comitiva presidencial, informou a Agência Reuters. Kim esperou Moon no aeroporto.

Em uma breve conversa com Moon, Kim comparou a economia dos dois países e reconheceu as dificuldades que a Coreia do Norte está enfrentando.

“O senhor presidente visita muitos países do mundo. Em comparação com os países desenvolvidos, estamos um pouco mal”, disse ele, de acordo com a agência sul-coreana de notícias Yonhap, em 18 de setembro.

“Fizemos nosso melhor esforço para preparar este alojamento e itinerário. Este pode ser um padrão baixo, mas eu espero que o aceitem, do fundo do coração”, acrescentou. Isso levou alguns a pensar que poderia ser a demonstração de um genuíno compromisso para a desnuclearização e a imediata recuperação da paz.

Também durante a primeira reunião de Kim com Moon, o líder mencionou como Seul se havia mostrado desenvolvida.

Presidente sul-coreano Moon Jae-in aperta a mão de funcionários norte-coreanos, enquanto o líder norte-coreano Kim Jong-un observa, antes da reunião de 18 de setembro de 2018 em Pyongyang, na Coreia do Norte (Pyongyang Press Corps/Getty Images)
Presidente sul-coreano Moon Jae-in aperta a mão de funcionários norte-coreanos, enquanto o líder norte-coreano Kim Jong-un observa, antes da reunião de 18 de setembro de 2018 em Pyongyang, na Coreia do Norte (Pyongyang Press Corps/Getty Images)

No início das conversações na sede do Comitê Central do Partido dos Trabalhadores da Coreia (Partido Comunista), Kim agradeceu a Moon por permitir a histórica reunião com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em Singapura, em 12 de junho.

“O presidente Moon ajudou a arranjar o início das históricas conversas entre a Coreia do Norte e os Estados Unidos”, disse o líder norte-coreano.

Os líderes das duas Coreias se reuniram anteriormente em duas cúpulas bilaterais na aldeia fronteiriça de Panmunjom, em 27 de abril e 26 de maio. Agora Kim afirma que as relações continuarão progredindo. “Graças a essa reunião, as condições regionais se estabilizaram e se espera um resultado mais avançado”.

“Mais uma vez, expresso minha gratidão pelos esforços feitos pelo presidente Moon”, concluiu.

Presidente sul-coreano Moon Jae-in com o líder norte-coreano Kim Jong-un, depois de assistir a uma apresentação no Grande Teatro Pyongyang em 18 de setembro de 2018 em Pyongyang, na Coreia do Norte (Pyongyang Press Corps/Getty Images)
Presidente sul-coreano Moon Jae-in com o líder norte-coreano Kim Jong-un, depois de assistir a uma apresentação no Grande Teatro Pyongyang em 18 de setembro de 2018 em Pyongyang, na Coreia do Norte (Pyongyang Press Corps/Getty Images)

O apoio ao presidente Moon na Coreia do Sul aumentou, segundo pesquisas, após seu primeiro encontro histórico com Kim em abril, e antes da reunião entre Kim e o presidente dos Estados, Unidos Donald Trump, em junho; no entanto, os números apontados pela opinião pública na segunda-feira levantados pela agência Realmeter indicaram que seu índice de aprovação caiu para 53,1%.

“Existe uma relação direta entre a situação econômica e o apoio público à política da administração para a Coreia do Norte”, declarou para a Agência Yonhap Shin Beom-chul, diretor do Centro para a Segurança e a Unificação do Instituto Asan de Estudos Políticos, ao destacar que a situação econômica não é suficientemente boa para que as pessoas estejam dispostas a suportar os custos iniciais da cooperação com a Coreia do Norte.

Moon é o primeiro chefe de Estado estrangeiro a realizar um encontro com o líder do Norte em Pyongyang e o primeiro hóspede estrangeiro a quem o líder do Norte saudou no aeroporto.

 
Matérias Relacionadas