Recifes de coral da China reduzidos em 80 por cento

Pôr do sol em Sansha (STR/AFP/Getty Images)

A expansão econômica irrestrita da China tem ameaçado seriamente os recifes de coral, que já foram reduzidos em 80% nos últimos 30 anos, segundo um grupo de pesquisa composto de australianos e chineses.

O estudo, realizado pelo Centro de Excelência do Conselho de Investigação Australiano e pelo Instituto de Oceanologia do Mar do Sul da China, é a primeira pesquisa abrangente do tipo a examinar os recifes de coral ao longo da China continental e no Mar do Sul da China.

A condição dos recifes foi descrita no estudo como “um quadro sombrio do declínio, da degradação e da destruição resultantes do desenvolvimento costeiro, da poluição e da sobrepesca”.

A destruição está tão difundida que não há soluções fáceis para o problema. “A contínua expansão econômica da China tem exacerbado muitos problemas ambientais seríssimos, incluindo a perda generalizada de habitat devido ao desenvolvimento costeiro, níveis insustentáveis de pesca e poluição”, escreveram os autores do estudo.

“Um problema grave é que é muito difícil de resolver sem resultar numa série de consequências previstas e imprevistas para as pessoas, a indústria e o próprio meio ambiente”, disse o líder da pesquisa, o Prof. Terry Hughes, num comunicado de imprensa.

Pesquisas no Mar do Sul da China descobriram que a cobertura de coral perto de atóis e arquipélagos offshore reivindicados por seis países diminuiu de mais de 60% remanescente para cerca de 20% nos últimos 10 a 15 anos.

“Até agora, as alterações climáticas tem afetado esses recifes muito menos do que o desenvolvimento costeiro, a poluição, a pesca excessiva e as práticas destrutivas de pesca. Ironicamente, esses declínios generalizados na condição dos recifes estão se revelando enquanto a investigação e a capacidade de gerenciamento dos recifes da China se expandem rapidamente”, diz o estudo.

Os corais do Mar do Sul da China cobrem cerca de 30 mil quilômetros quadrados e fornecem os meios de subsistência para dezenas de milhares de pescadores.

“Normalmente, quando um recife de coral se degrada tomado por algas, e a partir deste ponto a experiência tem mostrado, é muito difícil retorná-lo a sua cobertura de coral natural”, continuou Hughes. “A janela de oportunidade para recuperar os recifes do Mar do Sul da China está se fechando rapidamente, devido ao estado de degradação revelado neste estudo.”

A China e outros países criaram parques marinhos para conservar os recifes, mas Hughes observou que eles são pequenos demais para deter o declínio.

A perda maciça dos recifes é apenas outro efeito adverso do crescimento meteórico da China nos últimos 30 anos, que tem poluído grandes extensões do país. A poluição do ar, da água e do solo na China está entre as piores do mundo, com a cidade central de Linfen muitas vezes descrita como a “mais poluída do mundo”.

Epoch Times publica em 35 países em 20 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas