Putin alerta para resposta ‘relâmpago’ se Ocidente intervir na Ucrânia

"Eles devem saber que nossa resposta … será rápida como um relâmpago"

Por Jack Phillips 

O presidente russo, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira que Moscou preparará uma resposta rápida se as potências ocidentais intervirem em sua invasão da Ucrânia, que já dura dois meses.

Falando aos legisladores em um ambiente público, Putin disse que “se alguém se propõe a intervir nos eventos atuais de fora e cria ameaças estratégica inaceitáveis ​​para nós, eles devem saber que nossa resposta … será rápida como um relâmpago” de acordo com uma tradução.

Embora não tenha dado mais detalhes, o líder russo disse que os militares não hesitariam em usar o armamento mais avançado da Rússia

“Temos todas as ferramentas para isso, que ninguém mais pode se gabar de ter. Não vamos nos gabar disso: vamos usá-los, se necessário. E quero que todos saibam disso”, alertou Putin. “Já tomamos todas as decisões sobre isso”.

Até agora, os Estados Unidos, a União Europeia e seus aliados optaram por emitir sanções punitivas contra a economia da Rússia, visando Putin e outros altos funcionários do governo e oligarcas. A Rússia, enquanto isso, interrompeu as exportações de gás para a Polônia e a Bulgária – membros da OTAN e da UE – depois que eles rejeitaram a exigência de Moscou de pagamento em rublos, segundo a empresa estatal russa de energia Gazprom declarou em um comunicado.

A medida foi condenada pelo presidente polonês Andrzej Duda e autoridades búlgaras, que acusaram Moscou de tentar chantagear as duas nações.

“Os europeus podem confiar que estamos unidos e em total solidariedade com os estados membros impactados diante deste novo desafio. Os europeus podem contar com nosso total apoio”, disse a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, em um comunicado após a decisão.

Um dia antes do aviso de Putin aos legisladores, Londres e o Kremlin trocaram ameaças quando o ministro das Forças Armadas do Reino Unido, James Heappey, disse em entrevista na terça-feira que está tudo bem se a Ucrânia atacar o território russo.

“Na guerra, a Ucrânia precisa atacar a profundidade de seus oponentes para atacar suas linhas de logística, seus suprimentos de combustível, seus depósitos de munição, e isso faz parte”, Heappey disse à Times Radio, acrescentando que tais ataques seriam vistos pelo Reino Unido. como “completamente legítimos”.

Na Ucrânia, o governo de Kiev informou na quarta-feira que as tropas russas obtiveram ganhos em várias aldeias de lá. A Rússia relatou uma série de explosões em seu lado da fronteira e um incêndio em um depósito de armas.

O procurador-geral da Ucrânia disse que as forças russas usaram gás lacrimogêneo e granadas de efeito moral para dispersar um comício pró-Ucrânia na cidade de Kherson, no sul, o primeiro grande centro urbano tomado por Moscou após a invasão de 24 de fevereiro.

E apesar do colapso dos laços entre a Rússia e o Ocidente, Moscou e Washington realizaram uma troca de prisioneiros. Os Estados Unidos libertaram o piloto russo Konstantin Yaroshenko, preso por acusações de tráfico de drogas. A Rússia libertou o ex-fuzileiro naval americano Trevor Reed, acusado de brigar com a polícia de Moscou.

A Reuters contribuiu para esta reportagem.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas