Portugal vive 1º dia sem restrições impostas desde início da pandemia

Por Agência EFE

Portugal entrou nesta sexta-feira na fase final do plano de relaxamento de restrições impostas por causa da pandemia da covid-19, permitindo a volta das atividades noturnas de lazer, após um ano e meio de fechamento contínuo, e o fim de limitação de público e horário no comércio.

Nos últimos 18 meses, o país nunca esteve tão livre de medidas como passou a estar a partir de hoje, recuperando ares anteriores à propagação do novo coronavírus, que gerou 1 milhão de infecções e cerca de 18 mil mortes.

“Já estávamos fartos”, afirmou Carlos Barbosa, condutor de ‘tuctucs’ (veículos de passeios turísticos), a Agência Efe.

O português, no entanto, admitiu que, embora tenha desejado um desconfinamento mais ágil, acredita que a situação foi bem conduzida pelo governo, retomando gradativamente as atividades e esperando que “85% da população estivesse vacinada”.

O índice a que Barbosa se referiu é o de pessoas que estão com esquema completo de imunização. Por ter sido alcançada a marca, foi permitido, por exemplo, que restaurantes funcionassem sem qualquer restrição de horário ou ocupação de clientes.

Além disso, os estabelecimentos gastronômicos podem deixar de exigir o certificado digital de vacinação aos fins de semana.

Nos restaurantes, assim como nos pequenos comércios, nem mesmo é mais exigido o uso de máscara, obrigação que só é mantida em superfícies com mais de 400 metros quadrados, assim como no transporte público, asilos, hospitais, escolas e casas de shows.

Além disso, nos hotéis, as pessoas que desejarem se hospedar não precisam mais apresentar o comprovante de vacinação, que ainda será cobrado em boates e bares, que ficaram mais de 18 meses fechados.

Alguns estabelecimentos de lazer noturno, inclusive, aproveitaram ainda às 0h de hoje, a entrada em vigor da última fase de relaxamento de medidas e já abriram as portas.

De acordo com a Associação Nacional de Boates, cerca de 60% dos empreendimentos do setor acabaram fechando as portas desde o início da propagação do novo coronavírus.

A reabertura, no entanto, desagradou algumas pessoas, como uma trabalhadora da saúde, que preferiu não se identificar, mas relatou à Efe o incômodo com a situação.

“Sabendo das condições em que ainda estão os hospitais, é muito repentina a abertura normal e sem limites do lazer noturno, que é onde as pessoas se juntam mais. Hoje mesmo, vi jovens bêbados às 7 da manhã”, lamentou.

Entre as demais flexibilizações em Portugal, casamentos e batizados não terão mais limitação de público, assim como eventos esportivos, embora nestes últimos, será necessária a apresentação de certificado digital de vacinação.

O chamado “passaporte covid” também será exigido nas visitas à asilos e hospitais, assim como em grandes eventos culturais.

O relaxamento de medidas acontece quando o país tem indicadores da pandemia em queda. A incidência acumulada está em torno de 100 casos para cada 100 mil pessoas nos últimos 14 dias, e há menos de 400 pessoas internadas nos hospitais com covid-19.

Nesta semana, além disso, foi dissolvida a força-tarefa que coordenava a campanha de vacinação em Portugal, depois que foi atingida a marca de 85% da população imunizada em esquema completo.

Entre para nosso canal do Telegram

Siga o Epoch Times no Gettr

Veja também:

 
Matérias Relacionadas