Petrolão: confira lista com 28 nomes entregues por Paulo Roberto Costa

A lista de Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, cita 28 políticos que teriam sido beneficiados pelo esquema de desvios de recursos da estatal, conhecido como Petrolão. Veja abaixo o nome dos envolvidos:

Partido dos Trabalhadores (PT)

Antonio Palocci e Gleisi Hoffmann, hoje senadora. Humberto Costa (PT-PE), Lindbergh Farias (PT-RJ) e Delcídio Amaral (PT-MS). Tião Viana (governador do Acre) e os deputados Cândido Vaccarezza (PT-SP) e Vander Loubet (PT-MS).

Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB)

Os presidentes da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). O ministro Edison Lobão. Os ex-governadores Sergio Cabral (Rio de Janeiro) e Roseana Sarney (Maranhão). Os senadores Valdir Raupp (PMDB-RO) e Romero Jucá (PMDB-RR). O deputado Alexandre José dos Santos (PMDB-RJ).

Partido Socialista Brasileiro (PSB)

O ex-presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, morto num acidente aéreo em 2014.

Partido Progressista (PP)

Do PP, constam os nomes de diversos deputados e o mais reluzente é o do senador Ciro Nogueira (PP-PI), presidente nacional da sigla.

O procurador-geral da República pretende encaminhar ao Supremo Tribunal Federal as denúncias contra políticos em fevereiro de 2015. Os que não têm mandato eletivo serão julgados em primeira instância.

Pois é. Vocês se lembram quando Renan Calheiros, cinicamente, armou toda aquela violência absurda contra os manifestantes no Congresso? Ou quando Romero Jucá fez todas as manobras (parecendo até narrador de jogo de futebol) para aprovar a Lei do Calote? Na época, pensamos: o que leva pessoas tão conhecidas a perderem a dignidade de forma tão gritante? Já prevíamos o alinhamento com as propostas torpes do governo, mas perder a dignidade a esse nível? Chegando ao ponto de mandar agredir manifestantes pacíficos? Chegando ao ponto de fazer um manifestante desmaiar por tomar choque? E a fazer um dos seguranças dar uma gravata em uma senhora de 79 anos?

Para perder a honra de forma tão gritante, há um custo. Agora sabemos (oficialmente) o custo da honra e da dignidade desses senhores.

Quanto a Lindbergh Farias, Humberto Costa e Gleisi Hoffman, o que dizer daqueles discursos encenados e patéticos repetindo, todos em coro diante da oposição, “ei, desçam do palanque”, ou seja, usando a tribuna para fazer propaganda baixa. Decerto esperavam que governo fosse igual o BBB, onde o vencedor ganha imunidade. Tudo bem que desses três (e do resto dos petistas) não se esperava algo melhor que isso, mas que o papelão foi moralmente vergonhoso, quanto a isso não há dúvida alguma.

Naquele dia fatídico (onde o Legislativo foi jogado à lama, ainda que não mais que o Executivo) víamos uma cena vergonhosa. Lindbergh, após retornar do palanque, onde fez seu discursinho indigno, após retornar aos seus assentos morria de rir junto aos outros petistas, que, em seguida, iam ao palanque repetir os ardis. Quem tiver estômago para rever essas cenas do dia da votação da LDO verá o ápice de expressões como desonra, indignidade, depravação, cinismo e desrespeito ao eleitor.

Enfim agora sabemos a motivação extra daqueles que disseram: “Ei, eu sou do PT e já estou acostumado a baixarias, mas estou disposto a viver como se o fundo do poço fosse apenas uma etapa”.

 
Matérias Relacionadas