Pedro Sánchez anuncia eleições na Espanha para 28 de abril

Governo de Sánchez, líder do Partido Socialista PSOE, começou após uma moção de desconfiança ao primeiro-ministro Mariano Rajoy, do Partido Popular

Por Anastasia Gubin, Epoch Times

O primeiro-ministro da Espanha, o socialista Pedro Sánchez, anunciou em uma declaração oficial perante a mídia que, “após deliberação, o Conselho de Ministros propõe a dissolução das Câmaras e a convocação de eleições gerais para o próximo dia 28 de abril”.

O anúncio imediatamente desencadeou a campanha política dos partidos na luta pelo poder. “As pesquisas agora dizem que PP, Ciudadanos e Vox podem acariciar a maioria”, disse esta semana Pablo Simón, professor de Ciências Políticas na Universidade Carlos III, ao programa Al Rojo Vivo, segundo La Sexta.

A data dada pelo governo coincide com as eleições legislativas previstas para 28 de abril e precede as eleições regionais, municipais e europeias em 26 de maio.

“Sánchez esta manhã anunciou a convocação para Sua Majestade o Rei”, disse o Gabinete da Presidência.

A Câmara dos Deputados rejeitou esta semana os Orçamentos Gerais do Estado de 2019, e marcou desta forma a única saída para o atual governo, as eleições antecipadas.

Governo espanhol negocia orçamentos de 2019 com o grupo de esquerda Podemos. O chefe do Governo, Pedro Sánchez (esq.), e o secretário geral do Podemos, Pablo Iglesias, assinaram hoje no Palácio da Moncloa um acordo sobre o projeto de lei do orçamento para 2019 (EFE)
Governo espanhol negocia orçamentos de 2019 com o grupo de esquerda Podemos. O chefe do Governo, Pedro Sánchez (esq.), e o secretário geral do Podemos, Pablo Iglesias, assinaram hoje no Palácio da Moncloa um acordo sobre o projeto de lei do orçamento para 2019 (EFE)

“O Plenário aprovou as emendas ao projeto de Orçamento Geral do Estado (PGE) para 2019, que será devolvido ao Governo, com o qual se mantêm as contas públicas do Estado do ano anterior. Especificamente, os orçamentos foram rejeitados por 191 votos, em comparação com os 158 que votaram a favor do projeto continuar com o seu andamento, e a abstenção de um deputado”, disse El Congreso.

“Elas receberam 191 votos a favor, da direita e dos pró independentistas, 158 contra e uma abstenção. O resultado é que o projeto de lei será devolvido ao Executivo.

Segundo El Confidencial, “é a segunda vez na democracia que orçamentos são rejeitados pela Câmara primeiro. A ocasião anterior foi em 1995. Aquela derrota levou Felipe González à convocação de eleições gerais em 3 de março de 1996, vencidas por José María Aznar. ”

Novo líder do PSOE e presidente do governo espanhol, Pedro Sánchez, cumprimenta Mariano Rajoy, após uma moção de desconfiança no parlamento em Madri, Espanha, em 1º de junho de 2018 (Pierre-Philippe Marcou/Pool via Reuters)
Novo líder do PSOE e presidente do governo espanhol, Pedro Sánchez, cumprimenta Mariano Rajoy, após uma moção de desconfiança no parlamento em Madri, Espanha, em 1º de junho de 2018 (Pierre-Philippe Marcou/Pool via Reuters)

O governo de Sánchez, líder do Partido Socialista PSOE, começou após uma moção de desconfiança ao primeiro-ministro Mariano Rajoy, do Partido Popular, no Parlamento de Madri, em 1º de junho de 2018.

Presidente do governo Pedro Sánchez, durante sua visita ao centro de recursos para a infância e a adolescência do grupo Save the Children, em Vallecas (EFE)
Presidente do governo Pedro Sánchez, durante sua visita ao centro de recursos para a infância e a adolescência do grupo Save the Children, em Vallecas (EFE)

 

 
Matérias Relacionadas