Parto natural é a chave para um forte sistema imunológico

Crianças nascidas através de cesariana podem ter seus sistemas imunológicos prejudicados, de acordo com um estudo conduzido por pesquisadores da Universidade de Copenhague, e publicado no Journal of Immunology em 10 de julho.

“O estudo mostra que [ratos] nascidos por cesariana tinham desenvolvido um menor número de células que fortaleciam o sistema imunológico”, disse a pesquisadora Camilla Hartmann Friis Hansen.

Cesarianas vinculadas à função imunológica prejudicada

A cesariana consiste em remover cirurgicamente uma criança de abdômen da mãe, em vez de permitir que a criança saia naturalmente pelo canal do parto. Apesar de cesarianas serem clinicamente recomendadas apenas em casos em que o parto natural ameaçaria a mãe ou a vida da criança, as taxas de cesariana já atingiram níveis recordes.

Esta tendência tem sido amplamente atribuída ao fato de que a cesárea oferece maior lucro e conveniência para os médicos. Mas estudos têm mostrado que os nascimentos por cesariana implicam em custos para a saúde.

“Bebês nascidos via cesariana têm uma chance maior de terem que ser administrados na UTIN [Unidade de Terapia Intensiva Neonatal] e de sofrerem de problemas respiratórios”, disse Maureen Corry, Diretora Executiva das Conexões com o Parto. “As mães estão mais propensas a terem uma infecção grave, estão em maior risco de embolia por hemorragia, e outras consequências a longo prazo … algumas das quais podem ser fatais.”

Estudos também têm demonstrado que as crianças nascidas através da cesariana têm uma composição diferente de micro-organismos (flora) em suas entranhas em comparação a crianças nascidas por parto natural. Dado o papel que a flora intestinal desempenha na regulação de muitos sistemas do corpo, essa diferença pode ser responsável por alguns dos efeitos na saúde a longo prazo, incluindo taxas mais elevadas de alergias e asma, e um risco 20% maior de desenvolver diabetes .

Corpo menos capaz de reconhecer bactérias inofensivas

No novo estudo, os pesquisadores compararam o desenvolvimento imunológico dos filhotes de rato nascidos via cesariana com filhotes de parto natural. Eles encontraram que os ratinhos de cesariana tinham níveis significativamente mais baixos de um tipo de células que desempenham um papel fundamental para prevenir que o sistema imune ataque bactérias inofensivas ou as células do próprio corpo.

Estes resultados são particularmente importantes devido a desordens autoimunes, tais como alergias, diabetes do tipo 1 e a doença de Crohn, que são caracterizadas por reações imunitárias inadequadas, que têm como alvo substâncias inofensivas ou órgãos do corpo. Os pesquisadores agora esperam estudar se camundongos nascidos via cesariana estão predispostos a doenças autoimunes.

“As experiências com ratos pode nos dar uma ideia do que seria interessante estudar com mais detalhes em ensaios clínicos, de modo que, a longo prazo, pudéssemos ser capazes de desenvolver métodos para o fortalecimento do sistema imunológico em recém-nascidos que estão predispostos a doenças autoimunes “, disse o professor Axel Kornerup Hansen.

O estudo também parece apoiar a hipótese da higiene, que postula que a exposição a substâncias e microorganismos inofensivos do ambiente (como a flora natural do canal de nascimento da mãe) desempenha um papel fundamental no desenvolvimento do sistema imunológico dos recém-nascidos e crianças. De acordo com esta hipótese, um ambiente excessivamente estéril pode realmente prejudicar o sistema imunológico.

Um estudo dirigido por pesquisadores do Hospital Henry Ford e apresentado na reunião anual da Academia Americana de Alergia, Asma e Imunologia, em 2013, também sugere que a cesárea pode interferir com a saúde do desenvolvimento imunológico. Nesse estudo, os pesquisadores descobriram que, aos dois anos, as crianças nascidas via cesariana eram mais propensas a demonstrarem uma resposta imune elevada quando expostas a alérgicos comuns. Esta “sensibilidade” é considerada o primeiro passo para o desenvolvimento de alergias.

“Isto aumenta ainda mais a hipótese da higiene de que a exposição da primeira infância a micro-organismos afeta o desenvolvimento do sistema imunológico e o aparecimento de alergias”, disse a principal autora Christine Cole Johnson. “Acreditamos que a exposição de um bebê a bactérias no canal de parto é um grande influenciador em seu sistema imunológico.”

*Imagem de “baby” via Shutterstock
 
Matérias Relacionadas