Paraguai decreta estado de emergência sanitária para interromper a expansão do coronavírus

Paraguaios que entrarem no país e estrangeiros com permissão de acesso terão que passar por um período de quarentena

Por Agência EFE

O governo paraguaio decretou nesta segunda-feira estado de emergência sanitária para interromper a expansão do coronavírus, assim como foi dito nesta manhã ao anunciar a restrição dos movimentos dos cidadãos durante a noite.

O decreto foi divulgado logo após o Ministério da Saúde Pública elevar os casos confirmados para nove, um a mais que no dia anterior.

O decreto protege as medidas excepcionais que entraram em vigor hoje à noite, o que restringe o movimento de pessoas e veículos por oito horas, reforçando a quarentena estabelecida dias atrás.

O ministro do Interior, Euclides Acevedo, disse à mídia, ao anunciar essas medidas, que “o direito ao movimento será restrito para ser drástico em relação à quarentena, que não passa de isolamento”.

O não cumprimento da medida será punido com prisão entre 12 e 18 meses e multas de US$ 1.200 a US$ 6.000.

Quando o anúncio foi feito, o governo já havia fechado parcialmente 27 postos fronteiriços por 15 dias, afetando a circulação de pessoas e mercadorias.

Além disso, os paraguaios que entram no país e os estrangeiros com permissão de acesso terão que passar por um período de quarentena.

Quanto aos aeroportos, as autoridades aeronáuticas proibirão o desembarque de estrangeiros não residentes, com exceção de estrangeiros residentes, missões diplomáticas e organizações internacionais.

O conglomerado de medidas para impedir a disseminação do coronavírus no país inclui os primeiros adotados pelo governo: a proibição de eventos com grande público, que resultou na suspensão temporária da liga de futebol e no fechamento de cinemas e teatros .

Além disso, as aulas foram suspensas.

 
Matérias Relacionadas