Para Teich, não dá para flexibilizar com curva do Covid-19 em ‘franca ascendência’

Ministro da Saúde também citou a possibilidade do Brasil registrar mil mortos por dia

Por Diário do Poder

Em entrevista coletiva nesta quinta-feira (30), no Palácio do Planalto, o ministro da Saúde, Nelson Teich, afirmou que a flexibilização do isolamento social não é aconselhável diante do crescimento do número de mortes devido o coronavírus. “Ninguém está pensando em relaxamento. Ninguém está pensando em relaxar o isolamento. Neste momento, ninguém está pensando em flexibilizar nada”.

Teich disse que o ministério estuda a forma correta de divulgar diretrizes para governadores e prefeitos sobre a liberação do isolamento, para que não ocorra um afrouxamento prematuro das medidas de distanciamento social. E ressalta que apesar disso, de haver um ponto de partida, “não dá para você começar uma liberação quando você tem uma curva em franca ascendência”.

Para o ministro agora é necessário apoiar estados e municípios que estão em situação de emergência.“Neste momento, a prioridade absoluta é ajudar estados e municípios a ter a estrutura necessária para tratar das pessoas”.

Teich destacou que o distanciamento social permanece como a orientação, e que será avaliado cada lugar, cada região. “Vamos avaliar cada estado e município”.

Na coletiva, Teich admitiu que existe a possibilidade do país registrar cerca de 1 mil mortos por dia. “É um numero possível de acontecer. Não quer dizer que vai acontecer”.

 
Matérias Relacionadas