Pais com o coração partido despedem seu bebê enquanto desligam o suporte de vida, mas a menina decide ficar

Por Epoch Times

Uma das situações mais difíceis da vida é ver seu filho morrer, é o pior pesadelo de qualquer pai ou mãe. Quando este casal se despediu de sua filha no hospital, um milagre aconteceu.

Quando Francesca Williams deu à luz uma linda garota chamada Bella em 2014, ela e seu marido Lee ficaram maravilhados.

Sua felicidade logo se transformou em preocupação quando Bella começou a perder seu cabelo quando ela tinha cerca de 14 meses, de acordo com MailOnline.

Em julho de 2015, aos 18 meses, o estado de Bella piorou drasticamente enquanto a família estava de férias, pois ela parecia perder todas as suas energias. Ela foi internada no hospital e diagnosticada com graves anormalidades cerebrais. Especialistas disseram que Bella exibia sinais de doença mitocondrial.

Não demorou muito para que Bella estivesse com aparelhos de suporte à vida em um hospital infantil, mas sua força vital continuou a declinar. Bella não conseguia respirar sem a ajuda de um respirador.

Sintomas semelhantes envolvendo outra criança no hospital ocorreram seis anos antes, mas, nesse caso, a criança tinha deficiência de biotinidase, uma doença hereditária na qual o corpo não consegue processar a vitamina biotina. No entanto, os médicos ainda acreditavam que Bella tinha doença mitocondrial.

Três semanas depois, Francesca e Lee tiveram que lidar com a notícia devastadora de que Bella não sobreviveria e que o hospital estava tirando seu suporte de vida. O casal foi convidado a assinar um acordo de “não ressuscitar” (DNR).

Amigos e familiares se reuniram ao lado da cama de Bella para dizer seu último adeus, então os pais de Bella foram deixados sozinhos com seu bebê e os médicos. O respirador foi desligado.

“Eu estava segurando a mão dela sabendo que haveria um último suspiro”, disse Lee ao MailOnline.

Mas algo milagroso aconteceu: ela não estava pronta para partir e começou a lutar por sua vida.

“Eu podia sentir sua mão caindo e enfraquecendo, mas então ela começou a agarrar meu dedo novamente”, disse Lee. “Ele começou a se mover por conta própria e então sua máquina começou a apitar.”

Os médicos rapidamente entraram em ação para ajudar a manter a menina viva, apesar do acordo de não ressuscitar. Meia hora depois, os níveis de oxigênio de Bella voltaram ao normal.

A equipe descobriu que Bella era deficiente em biotinidase, que pode ser tratada com suplementos de biotina todos os dias. Existem muitas razões para acreditar que Bella terá uma vida normal, saudável e feliz pela frente.

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas