ONU denuncia novas violações do acordo nuclear do Irã

Irã já excedeu em muito os limites de urânio enriquecido do acordo

Por VOA

A agência das Nações Unidas para monitorar a atividade atômica confirmou que o Irã começou a operar centrífugas instaladas em um local subterrâneo.

Durante uma coletiva de imprensa em Viena na quarta-feira, Rafael Grossi, diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), disse a repórteres que 174 centrífugas foram transferidas para uma nova área da instalação nuclear iraniana de Natanz, que começou a operar recentemente.

Ele disse que a operação de centrifugação desse tipo é uma violação do acordo nuclear que o Irã assinou com potências mundiais em 2015, conhecido como Plano de Ação Integral Conjunto (JCPOA, por sua sigla em inglês).

Grossi observou que a operação não resultaria no aumento da produção de urânio enriquecido. Mas ele acrescentou que o Irã já excedeu em muito os limites de urânio enriquecido do acordo.

“De um modo geral, não há aumento significativo de volumes porque – como mencionei – eles já estavam operando em outro local. Portanto, há uma nuance aí. Mas, claro, é algo que não está dentro dos limites do JCPOA”, disse Grossi.

Grossi disse que o Irã foi solicitado a explicar a descoberta dos investigadores da agência internacional, mas suas explicações “não foram satisfatórias”.

A agência de notícias Associated Press informou sobre um documento confidencial distribuído aos países membros da AIEA na semana passada mostrando que o Irã, em 2 de novembro, tinha 2.442,9 kg de urânio enriquecido. Isso representou um aumento em relação aos 2.105,4 quilos registrados em 25 de agosto.

O acordo nuclear assinado pelos Estados Unidos, Alemanha, França, Inglaterra, China e Rússia permite que o Irã tenha apenas 202,8 quilos. A Agência Internacional de Energia Atômica observou que o Irã continuou a enriquecer urânio com uma pureza de até 4,5%, superior aos 3,67% permitidos pelo acordo.

Em agosto passado, o governo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, notificou formalmente as Nações Unidas sobre sua exigência de restabelecimento de todas as sanções da ONU contra o Irã, a fim de impedir que este país adquira armas que poderiam ser usadas para fornecer organizações terroristas.

No entanto, o esforço dos EUA encontrou oposição de seus aliados europeus, França, Alemanha e Reino Unido.

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas