NCAA atualiza definição de ‘totalmente vacinado’ para incluir imunidade natural

'Esta orientação foi projetada para se alinhar às mais recentes diretrizes de saúde pública', afirma diretor médico da NCAA

Por Katabella Roberts 

A National Collegiate Athletic Association (NCAA) no dia 7 de janeiro lançou uma nova orientação quanto a COVID-19 para esportes de inverno, atualizando sua definição de “totalmente vacinado” para reconhecer a imunidade natural por infecção anterior, bem como vacinas e reforços.

“Para fins das orientações de inverno, o Grupo Consultivo Médico sobre a COVID-19 da NCAA desenvolveu uma definição de ‘totalmente vacinado’ que considera o status de vacinação e outros fatores de imunidade que podem afetar os riscos para indivíduos de Nível 1, incluindo estudantes-atletas e treinadores”, declarou a orientação.

Indivíduos totalmente vacinados incluem aqueles dentro de dois meses após receber a série primária da vacina Johnson & Johnson, cinco meses após receber a série vacinal da Pfizer, ou dentro de seis meses após receberem a série de vacinas Moderna, conforme orientação atualizada.

Indivíduos que receberam uma vacina de reforço se estiverem além desses prazos também são considerados totalmente vacinados.

Notavelmente, uma pessoa dentro de 90 dias após uma infecção documentada pela COVID-19 também é considerada o equivalente a totalmente vacinada, afirma a orientação.

“A variante Ômicron apresentou outra onda de casos em todo o país”, afirmou o diretor médico da NCAA, Brian Hainline. “Esta orientação foi projetada para se alinhar às mais recentes diretrizes de saúde pública. Devido à forma como a pandemia continua a evoluir, é importante que os funcionários dos campi membros continuem a trabalhar com as autoridades de saúde locais e estaduais nos protocolos mais adequados para suas localidades”.

A NCAA também sugere cinco dias de quarentena após um teste positivo se não houver sintomas ou “os sintomas estiverem sendo resolvidos”. O grupo consultivo médico também recomenda usar uma máscara perto de outras pessoas por cinco dias adicionais; no entanto, “a participação em atividades atléticas sem máscara durante os dias 6 a 10 pode ser considerada” se for realizado um PCR negativo, teste de amplificação de ácido nucleico ou teste de antígeno.

Enquanto isso, indivíduos que não estão totalmente vacinados e entram em contato próximo com alguém com teste positivo para COVID-19 devem se isolar em casa por cinco dias e não participar de atividades atléticas de inverno, de acordo com as orientações.

A NCAA sugere que esses indivíduos continuem usando máscaras por mais cinco dias. Novamente, eles podem participar de atividades atléticas sem máscara durante os dias 6 a 10 após um resultado negativo no teste.

Os contatos próximos totalmente vacinados não precisam de quarentena, mas devem usar uma máscara perto de outras pessoas por 10 dias e podem participar de atividades atléticas sem precisar usar máscara.

“Os indivíduos devem testar no dia cinco, se possível, e testar se sintomáticos”, observa a NCAA.

A orientação da NCAA leva em consideração as recomendações disponíveis dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA, que no final de dezembro anunciaram novas orientações de auto-isolamento para indivíduos com resultado positivo para o vírus que causa a COVID-19.

A partir do mês passado, quem testar positivo para o vírus deve se isolar por cinco dias após a infecção em vez de 10, independentemente do status vacinal. A agência também encurtou o tempo que os contatos próximos de pessoas positivas para COVID-19 precisam ficar em quarentena.

As autoridades do CDC afirmaram que as orientações atualizadas de dezembro seguem evidências científicas que sugerem que a maioria da transmissão da COVID-19 ocorre no início, um a dois dias antes do início dos sintomas e três dias após o surgimento dos sintomas.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas