O medo de escuro pode causar insônia, afirma estudo canadense

De acordo com um estudo canadense, uma quantidade potencialmente grande de adultos que sofrem de insônia podem, na realidade, ter medo de escuro.

Pesquisadores da Universidade de Ryerson, em Toronto, Canadá, entrevistaram alunos universitários para realizar um estudo sobre a qualidade de sono. Eles descobriram que quase metade dos que têm distúrbios de sono possivelmente tenham fobias relacionadas ao escuro.

A equipe mediu o nível de sensibilidade dos entrevistados, em ambiente iluminado e em ambiente escuro, através da taxa de piscar os olhos sob o efeito de barulhos produzidos inesperadamente durante o sono. Verificou-se que, no ambiente escuro, os que dormem bem, com o tempo, acostumaram-se ao barulho, enquanto os que dormem mal, ficaram em estado de alerta.

Esses resultados mostram a necessidade de se aperfeiçoar as estratégias atualmente utilizadas para o tratamento da insônia, as quais assumem que a dificuldade de sono resulta de associações psicológicas devido a um estado de ansiedade na cama.

“As pessoas com insônia tornam-se mais alertas e, às vezes, ansiosas quando vão para a cama”, explicou Colleen Carney, pesquisadora chefe, em entrevista ao Epoch Times.

“Nós chamamos a isso de condicionamento induzido, ou seja, por meio de associação condicionante entre a cama e o estado de alerta ou de ansiedade. Só o fato de ir para a cama pode induzir o estado de alerta e de ansiedade.”

“Atualmente, o tratamento utilizado para isso é o controle de estímulo, ou seja, pedimos à pessoa que saia da cama e do quarto quando ela começar a se sentir ansiosa ou não conseguir dormir, e que só volte para a cama quando novamente sentir sono.”

Entretanto, a nova descoberta sugere que essa estratégia de tratamento talvez não seja adequada para algumas pessoas, pois não leva em consideração o medo do escuro.

“Uma possível estratégia é tratar primeiro a fobia e então prosseguir com o tratamento da insônia”, disse Carney.

“Esse é o primeiro estudo nessa nova abordagem, ainda há muito a pesquisar antes de podermos tirar conclusões”, disse Carney. “Os clínicos devem considerar a hipótese de medo de escuro ao tratar a insônia”.

Essas descobertas foram apresentadas no ‘Sleep’ 2012, em Boston, no 26º encontro anual da ‘Associated Professional Sleep Societies’.

 
Matérias Relacionadas