Meditação provoca alterações na estrutura cerebral

PRATICANDO MEDITAÇÃO. (The Epoch Times)
Senhora praticando meditação (The Epoch Times)

Um estudo realizado por cientistas da Universidade de Massachusetts, do Hospital Geral de Massachusetts e do Instituto Bender de Neuroimagem na Alemanha, descobriram que a meditação profunda durante 27 minutos por dia durante oito semanas produziu mudanças nas áreas do cérebro associadas à memória, ao estresse e a empatia.

A Dra. Britta Hölzel foi a principal autora do estudo, publicado na revista Psychiatry Research: Neuroimaging em 30 de janeiro de 2011. Ela diz: “É fascinante ver a plasticidade do cérebro, e a prática da meditação pode desempenhar um papel ativo na mudança do cérebro e pode aumentar a prosperidade e a qualidade de vida.”

“Embora a prática da meditação esteja associada a uma sensação de tranquilidade e relaxamento físico, os médicos têm sustentado que a meditação também oferece benefícios cognitivos e psicológicos que persistem ao longo do dia”, diz a Dra. Sara Lazar, coautora do estudo.

Dezesseis pessoas participaram do estudo. Elas foram submetidas a uma tomografia cerebral, duas semanas antes e duas semanas após o estudo. As imagens de ressonância magnética das estruturas do cérebro dos indivíduos mostraram um aumento na densidade de matéria cinzenta no hipocampo, área do cérebro que lida com a memória, emoções, orientação espacial e navegação.

Atualmente, a meditação é vista como uma grande ferramenta para reduzir a ansiedade, melhorando a saúde e o bem-estar, e aumentando a capacidade de percepção interna e externa.

Os principais benefícios da meditação estão sendo descobertos naqueles que praticam de forma contínua, disciplinada e dedicada.

A meditação é feita sentando-se confortavelmente com as costas retas e sem tensão e mantendo-se uma atitude positiva, sincera e respeitosa. Um ambiente e uma posição adequados são essenciais para uma meditação bem sucedida. É útil ter um bom guia ou a instrução de um mestre.

O Falun Gong, uma prática chinesa tradicional da mente, do corpo e do espírito, inclui exercícios e meditação que refinam o corpo e a mente, permitindo entrar em profunda tranquilidade. O Falun Gong, também conhecido como Falun Dafa, é uma forma de qigong que tem raízes na antiga cultura chinesa.

O objetivo de muitas formas de prática de meditação é despertar a própria sabedoria interior e viver harmoniosamente com os outros.

Em julho de 1977, a Associação Americana de Psicologia reconheceu a meditação como um agente de cura e um importante facilitador do processo terapêutico.

 
Matérias Relacionadas